Stephen King, 71 anos – Livros Publicados no Brasil

stephen-king-05-1024x558-e1532410809959Stephen King é um dos autores mais renomados e reconhecidos de todo o mundo. Com mais de 400 milhões de cópias vendidas ao longo de seus mais de 80 livros, King é sinônimo de sucesso. Tido como um dos mestres do terror, já teve muitas adaptações de seus livros e contos para os cinemas e minisséries de televisão.
Nasceu em Bangor, Maine, Estados Unidos, no dia 21 de setembro de 1947, completando hoje 71 anos.

Confira a relação dos livros do mestre publicados no Brasil:


Carrie, a Estranha (Carrie)
Ano: 1974
Sinopse: Carrie, a Estranha narra a atormentada adolescência de uma jovem problemática, perseguida pelos colegas, professores e impedida pela mãe de levar a vida como as garotas de sua idade. Só que Carrie guarda um segredo – quando ela está por perto, objetos voam, portas são trancadas ao sabor do nada, velas se apagam e voltam a iluminar, misteriosamente. Aos 16 anos, desajustada socialmente, Carrie prepara sua vingança contra todos os que a prejudicaram.

 

 

 


Salem/A Hora do Vampiro (Salem’s Lot)
Ano: 1975
Sinopse: Ambientado na cidadezinha de Jerusalem`s Lot, na Nova Inglaterra, o romance conta a história de três forasteiros. Ben Mears, um escritor que viveu alguns anos na cidade quando criança e está disposto a acertar contas com o próprio passado; Mark Petrie, um menino obcecado por monstros e filmes de terror; e o Senhor Barlow, uma figura misteriosa que decide abrir uma loja na cidade.

 

 

 

 


O Iluminado (The Shining)
Ano: 1977
Sinopse: Jack Torrence consegue um emprego de zelador em um velho hotel, e acha que será a solução dos problemas de sua família: não vão mais passar por dificuldades, sua esposa não vai mais sofrer e seu filho, Danny, vai poder ter ar puro para se livrar de estranhas convulsões. Mas as coisas não são tão perfeitas como parecem: existem forças malignas rondando os antigos corredores. O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança, e, inevitavelmente, um embate entre o bem e o mal terá de ser travado.

 

 


A Dança da Morte (The Stand)
Ano: 1978
Sinopse: Após um erro de computador no Departamento de Defesa, um milhão de contatos casuais formam uma cadeia de morte: é assim que o mundo acaba. O que surge é um árido lugar, privado de suas instituições e esvaziado de 9% da sua população. Um lugar onde sobreviventes em pânico escolhem seus lados – ou são escolhidos por eles. Onde os bons se apoiam nos ombros frágeis de Mãe Abagail, com seus 108 anos de idade, e os piores indizíveis: Randall Flagg, o homem escuro.

Valendo-se da imaginação sem limites que caracteriza sua obra , King criou uma história épica sobre o fim da civilização e a eterna batalha entre o bem e o mal. Com sua complexidade moral, seu ritmo eletrizante e suas incríveis profundidade e variedade de personagens, ‘A dança da morte’ merece um lugar entre os clássicos da literatura popular contemporânea.


Sombras da Noite (Night Shift) – Livro de Contos
Ano: 1978
Sinopse: Stephen King reúne aqui 20 de seus mais inquietantes contos- relatos de acontecimentos bizarros e atos impensáveis, surgindo daquela região crepuscular onde ruídos nas paredes e sombras perto da cama prenunciam algo terrível que ronda à solta. Os cenários são familiares e acima de qualquer suspeita – um colégio, uma fábrica, uma lanchonete rodoviária, uma lavanderia, um milharal. Mas no mundo de Stephen King, qualquer lugar pode servir como território sobrenatural. Só é necessária uma hora propícia da noite e a distração das vitimas. Alguns desses clássicos inspiraram filmes memoráveis: As Crianças do Milharal (Colheita Maldita) O Homem do Cortador de Grama (O Passageiro do Futuro), A Máquina de Passar Roupa (Mangler: O Grito de Terror) e Às Vezes Eles Voltam.


A Zona Morta (The Dead Zone)
Ano: 1979
Sinopse: Depois de quatro anos e meio, John Smith acorda de um coma causado por um acidente de carro. Junto com a consciência, o que John traz do limbo onde esteve são poderes inexplicáveis. O passado, o presente, o futuro – nada está fora de alcance. O resto do mundo parece considerar seus poderes um dom, mas John está cada vez mais convencido de que é uma maldição. Basta um toque, e ele vê mais sobre as pessoas do que jamais desejou. Ele não pediu por isso e, no entanto, não pode se livrar das visões. Então o que fazer quando, ao apertar a mão de um político em início de carreira, John prevê o que parece ser o fim do mundo?

 


A Incendiária (Firestarter)
Ano: 1980
Sinopse: Andy McGee e sua esposa Vicky foram usados numa experiência secreta enquanto eram adolescentes. Eles acabaram se casando e tendo uma filhinha, Charlene “Charlie” McGee. A menina acabou herdando os genes modificados dos pais, e nasceu com o dom da pirocinesia, que significa que ela pode atear fogo em tudo que quiser.

Charlie, como é pequena, não sabe controlar seus poderes, e acaba sendo avistada pela Oficina, uma sociedade secreta que investiga e explora humanos com poderes especiais. O livro já começa com Andy e Charlie (Vicky foi assassinata pelos capangas da Oficina, como lido em um flashback) fugindo de seus algozes.

A trama continua com a fuga desesperada de um pai tentando de todas as maneiras salvar a filha, contando com a ajuda de uns, Andy percebe que para escaparem dessa, Charlie talvez tenha que usar seus poderes para matar.

Em seu encalço está o melhor agente da Oficina, Rainbird, um estranho índio que quer matar Charlie e olhar nos seus olhos, pois acredita que terá uma grande revelação por ela ser especial.

As chances de sobrevivência são mínimas, mas Andy e Charlie não desistirão sem lutar.


Cão Raivoso (Cujo)
Ano: 1981
Sinopse: Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial-killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. Você pode me sentir mais perto cada vez mais perto. Nos limites da cidade, Cujo – um são bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber – se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde é mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesado de Tad Trenton e de sua mãe e como destrói a vida de todos a sua volta é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King.


Dança Macabra (Dance Macabre) – Não Ficção
Ano: 1981
Sinopse: Prepare-se… o mestre do horror irá guiá-lo por uma jornada pelas mais variadas formas do medo. Em Dança macabra, obra de referência sobre o gênero que o consagrou mundialmente, Stephen King irá revelar o fascínio causado pelo terror no cinema e na literatura, sem deixar de fora os quadrinhos, a televisão e o rádio. Qual foi o primeiro filme de terror a que você assistiu? Você se lembra daquele filme que o deixou com os olhos arregalados, no escuro do seu quarto, sem conseguir dormir? Que livros fizeram você sentir um frio na espinha e pular de susto ao menor ruído? Em Dança macabra, Stephen King revela como o fenômeno do horror foi explorado pelo cinema, pela literatura, pela tevê e pelas demais mídias ao longo de diferentes épocas. Da literatura gótica de Mary Shelley até o horror explícito de H. P. Lovecraft. Do terror psicológico de O bebê de Rosemary até o banho de sangue de O massacre da serra elétrica. Mas este livro vai além. Também é um emocionado tributo a todos aqueles que um dia se dedicaram à arte de apavorar plateias e leitores. Um presente aos fãs desta que é uma das mais malditas formas de entretenimento. Seja especulando sobre as origens dos medos de infância, racionalizando a sedução do grotesco ou refletindo sobre as adaptações de suas próprias obras para o cinema, esta é a última palavra em horror do autor que reinventou o gênero.


Quatro Estações (Different Seasons) – Livro de Contos
Ano: 1982
Sinopse: Em Quatro Estações, o leitor tem a oportunidade de conhecer uma outra faceta do mestre do suspense, Stephen King. São quatro histórias bem diferentes do universo habitual do autor, mas com a mesma marca de excelente contador de histórias que ele conquistou ao longo de sua carreira.

King constrói narrativas baseadas no dia-a-dia de personagens comuns e mostra sua habilidade em criar demônios, mas sob uma nova perspectiva: eles aparecem de modo subliminar, povoando a natureza humana.

Em “Primavera eterna – Rita Hayworth e a redenção de Shawshank”, o escritor toma a injusta condenação de um homem à prisão perpétua como ponto de partida para falar sobre o desejo de liberdade. A adaptação para as telas do cinema – com atuações de Tim Robbins e Morgan Freeman – fez grande sucesso sob o título Um sonho de liberdade.

Já a perda da inocência é retratada por King em “Verão da corrupção – Aluno inteligente”, que descreve a estranha relação entre um velho torturador nazista e um rapaz de apenas 13 anos de idade fascinado pelo terror do III Reich. A novela chegou às grandes telas como O aprendiz.

Na trama seguinte, “Outono da inocência – O corpo”, o autor dá novos contornos ao tema do rito de passagem da juventude para a maturidade, utilizando-se das reações de um grupo de adolescentes confrontados com a morte ao se verem diante de um cadáver. A história se transformou no filme Conta comigo, revelando atores como River Phoenix, Corey Feldman e Kiefer Sutherland.

Vida e morte voltam a aparecer na quarta e última novela, “Inverno no clube – O método respiratório”, que relata a luta de uma jovem para conceber seu primeiro filho a qualquer custo.

Em Quatro Estações, King, o mestre do terror americano, se distancia do sobrenatural e mergulha no dia-a-dia de personagens comuns, comprovando mais uma vez seu talento como um dos melhores ficcionistas da literatura contemporânea.


Christine (Christine)
Ano: 1983
Sinopse: Arnie Cunnigham era um perdedor. Rosto coberto de espinhas, desajeitado com as garotas, magro demais, passava os dias pelos corredores da escola, tentando fugir da gozação dos colegas. Isso até Christine personagem que dá nome ao livro, entrar em sua vida.
Amor à primeira vista. A partir desse dia, o mundo ganha novo sentido. Tudo o que Arnie quer é estar junto de Christine.

 

 

 


O Cemitério (Pet Sematary)
Ano: 1983
Sinopse:Louis Creed, um jovem médico de Chicago, acredita que encontrou seu lugar naquela pequena cidade do Maine. A boa casa, o trabalho na universidade, a felicidade da esposa e dos filhos lhe trazem a certeza de que fez a melhor escolha. Num dos primeiros passeios familiares para explorar a região, conhecem um “simitério” no bosque próximo a sua casa. Ali, gerações e gerações de crianças enterraram seus animais de estimação.

Para além dos pequenos túmulos, onde letras infantis registram seu primeiro contato com a morte, há, no entanto, um outro cemitério. Uma terra maligna que atrai pessoas com promessas sedutoras e onde forças estranhas são capazes de tornar real o que sempre pareceu impossível.


A Hora do Lobisomem (Cycle of the Werewolf)
Ano: 1983
Sinopse: A pacata cidade de Tarker’s Mill tem sua rotina abalada por uma série de assassinatos cometidos por um lobisomem. Um garoto paralítico descobre quem encarna o monstro, mas conta apenas com a ajuda de sua turma de amigos para destruí-lo.

 

 

 

 


O Talismã (The Talisman, escrito com Peter Straub)
Ano: 1983
Sinopse:Em O Talismã, Stephen King e Peter Straub convidam o leitor a embarcar numa aventura com todos os ingredientes das histórias que os tornaram os mestres do horror e da fantasia contemporâneos. O livro faz parte da coleção de obras esgotadas de King, reeditadas em novo formato pela Objetiva.

Jack Sawyer, um garoto de 12 anos, está prestes a iniciar uma jornada fantástica: a empolgante e assustadora busca de um talismã. Jack sabe que correrá vários riscos e que sua coragem e resistência física serão testadas a cada segundo. Mas vai lutar até o fim: de seu sucesso depende a vida de sua mãe…

Para atingir sua meta, Jack terá de lutar contra um inimigo furioso e cruel que está disposto a fazer qualquer coisa para destruí-lo e atravessar não apenas os Estados Unidos de costa a costa, mas também os Territórios, uma região assombrosa e ameaçadora.

Onde ficam os Territórios? Como chegar a esta região fantástica e mítica que não pode ser alcançada de modo comum? Em que plano da existência se situa esse mundo tão intrigante quanto a Atlântida? Jack vence estes mistérios ao atravessar para os Territórios. Aí, descobre a desconcertante existência dos “Duplos”, reflexos de pessoas que conhece na Terra como a Rainha Laura, o “Duplo” de sua mãe, que também está com a vida por um fio.

Jack não tem muito tempo e é longa a viagem. A cada passo de sua jornada, precisa enfrentar inimigos perigosos que o perseguem nos dois mundos. No entanto, ele persiste, pois só terá sossego quando o valioso talismã estiver em suas mãos.

Respire fundo e, se tiver coragem, acompanhe Jack nessa longa viagem. Ah, e não se surpreenda se, de repente, você começar a sentir que olhos o espreitam quando estiver absolutamente sozinho. Talvez você não esteja tão só quanto imagina…


Tripulação de Esqueletos (Skeleton Crew) – Livro de Contos
Ano: 1985
Sinopse: Publicado originalmente em 1985, o livro revela o talento de King como criador de enredos aterrorizantes e envolventes. Os contos transitam com desenvoltura pelo mais puro horror na forma de criaturas abomináveis, passando por um terror psicológico de gelar o sangue. Tanto os fãs de longa data do escritor quanto os novos leitores irão deliciar-se com as histórias de suspense e terror desta coletânea.

 

 


It – A Coisa (It)
Ano: 1986
Sinopse: Durante as férias escolares de 1958, em Derry, pacata cidadezinha do Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o real sentido da amizade, do amor, da confiança e… do medo. O mais profundo e tenebroso medo. Naquele verão, eles enfrentaram pela primeira vez a Coisa, um ser sobrenatural e maligno que deixou terríveis marcas de sangue em Derry. Quase trinta anos depois, os amigos voltam a se encontrar. Uma nova onda de terror tomou a pequena cidade. Mike Hanlon, o único que permanece em Derry, dá o sinal. Precisam unir forças novamente. A Coisa volta a atacar e eles devem cumprir a promessa selada com sangue que fizeram quando crianças. Só eles têm a chave do enigma. Só eles sabem o que se esconde nas entranhas de Derry. O tempo é curto, mas somente eles podem vencer a Coisa. Em ‘It – A Coisa’, clássico de Stephen King em nova edição, os amigos irão até o fim, mesmo que isso signifique ultrapassar os próprios limites.


Os Olhos do Dragão (The Eyes of the Dragon)
Ano: 1987
Sinopse: Em Delain, um reino muito distante, viviam o rei Roland e seus dois filhos, Peter e Thomas. Roland não era exatamente o que se esperava de um rei. Apesar de se esforçar para não prejudicar seu povo, não conseguia realizar grandes feitos. Enquanto teve a seu lado a rainha Sasha, as coisas ainda corriam bem. Sasha preocupava-se com os habitantes de Delain e dava conselhos decisivos a Roland. Sua bondade conquistou o povo, mas alimentou o ódio de um perigoso inimigo – Flagg, o feiticeiro do reino.
Um dia, de forma súbita e suspeita, a rainha morreu. Mas Flagg ainda não se dava por satisfeito. Tinha planos para dominar Delain e, para isso, precisava eliminar todos que estivessem em seu caminho. Para começar, era preciso livrar-se do tolo Roland, depois afastar o jovem Peter e levar ao trono o pequeno Thomas – que Flagg tinha a certeza de conseguir controlar.
Na batalha entre o bem e o mal, a vida de um reino repousa nas mãos de dois jovens, que terão de superar obstáculos para conquistar o direito à justiça e verão sua coragem ser duramente testada. Nesse jogo eletrizante de armações, manipulações e magia, apenas um lado sairá vencedor.


Misery
Ano: 1987
Sinopse: Paul Sheldon descobriu três coisas quase simultaneamente, uns dez dias após emergir da nuvem escura. A primeira foi que Annie Wilkes tinha bastante analgésico. A segunda, que ela era viciada em analgésicos. A terceira foi que Annie Wilkes era perigosamente louca. Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho.
A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.


Os Estranhos (The Tommyknockers)
Ano: 1987
Sinopse: The Tommyknockers by Stephen King (first published November 10th 1987) ‘-‘ O mago do terror Stephen King volta a ensinar que quem brinca com o sobrenatural acaba encontrando sua própria destruição. A pacata cidadezinha de Haven se vê abalada por estranhos acontecimentos, crianças desaparecem, bonecas ganham vida e um rastro de morte se espalha.

 

 

 

 


A Metade Negra (The Dark Half)
Ano: 1989
Sinopse: Thad Beaumont tem um pseudônimo literário: George Stark. E este é também seu lado negro, um autor de violentos livros criminais. Decidido a se livrar de seu alter ego, Thad vê com horror a aparição, em carne e osso, de George Stark… sedento de vingança.

Beaumont gostaria de dizer que ele é inocente. Ele gostaria de dizer que ele não tem nada a ver com a série de assassinatos monstruosos que continuam chegando mais perto de sua casa. Mas como Thad pode renegar a última encarnação do demônio que, com o nome que ele deu, assina seus crimes deixando as digitais ensanguentadas do Thad?

A Metade Negra foi adaptado para o cinema sob o mesmo título em 1993.


Depois da Meia-noite (Four Past Midnight)
Ano: 1990
Sinopse: Stephen King. consagrado unanimemente pela crítica mundial como o Mestre do Horror Moderno, reúne em Depois da meia-noite quatro histórias sobre pessoas que, habituadas à realidade cotidiana e palpável, encontram-se subitamente envolvidas por acontecimentos que desafiam a sanidade. São histórias que se referem não à meia-noite física – aquela que os velhos relógios anunciam com doze badaladas -, mas o sutil momento de transição entre nossa realidade e outra, bizarra, ilógica. Uma realidade formada pela substância da qual são feitos os pesadelos.
====
Segunda coletânea de noveletas, publicada por King. Divididas em quatro seguimentos.

Em Meia-Noite e Um: Os Langoliers (One Past Midnight: The Langoliers), um pequeno grupo encara um terrível enigma dentro de um avião em pleno voo: fora eles, todo o resto da tripulação desapareceu. O pior de tudo é que parece que todas as pessoas no mundo também desapareceram. Os sobreviventes precisam descobrir a chave deste mistério, porque os langoliers estão à espreita.

Em seguida, temos Meia-Noite e Dois: Janela Secreta, Secreto Jardim (Two Past Midnight: Secret Window, Secret Garden), que conta a história de Mort Rainey, um escritor que se refugia em sua casa do lago após uma separação mal resolvida com sua esposa. Enquanto vive na pura depressão, um homem de chapéu-coco e sotaque estranho, chamado John Shooter, bate à sua porta. Tal homem diz que Mort plagiou uma de suas histórias e exige que ele a reescreva com o final original creditando Shooter como autor da história. Se Mort não atender suas exigências, as coisas poderão seguir rumos horríveis, principalmente quando o verdadeiro segredo de Shooter for revelado.

Em Meia-Noite e Três: O Policial da Biblioteca (Three Past Midnight: The Library Policeman), depois que um homem pega dois livros emprestados da biblioteca da cidade e os perde, ele se vê ameaçado por uma terrível entidade chamada “O Policial da Biblioteca”. Ele avisa ao homem que se não recuperar os livros e devolvê-los a tempo, o pior acontecerá. Começa então uma corrida contra o tempo, cujo final é imprevisível.

Finalmente, em Meia-Noite e Quatro: O Cão da Polaroide (Four Past Midnight: The Sun Dog), temos o conto que serve de ponte entre A Metade Negra e Trocas Macabras. Quando um menino quebra a câmera polaroide que ganhou de aniversário e a manda para o conserto, ele descobre um curioso e assustador fato sobre a máquina. Ela só tira uma fotografia: a de um cão negro parado em frente a uma cerca. A cada foto que o menino tira, surge um novo movimento do animal; ele lentamente vai se virando e pulando em direção à pessoa que visualiza a foto. Ele sabe que se o cão terminar de pular em direção a ele, o bicho sairá da foto e virá para o mundo real. O menino deve ser rápido e descobrir uma maneira de parar isso, antes que o Cão da Polaroide se liberte e transforme nosso mundo num inferno.

Adaptação: Fenda no Tempo (1995); A Janela Secreta (2004


Trocas Macabras (Needful Things)
Ano: 1991
Sinopse: Castle Rock, na Nova Inglaterra, é um lugar tranquilo para se viver. Mas a chegada de Leland Gaunt desestabiliza a cidade através do preconceito, ódio, fraqueza e cobiça, provocando mortes e sofrimentos. Gaunt consegue isto através de uma loja de utilidades, que sempre tem algo especial para cada morador, que para conseguirem o que desejam pagam um preço simbólico para Leland, além de conceder a ele um simples “favor”.

 

 

 


Jogo Perigoso (Gerald’s Game)
Ano: 1992
Sinopse: Solidão, dificuldade de se comunicar e de se locomover e traumas da infância. Estes são os temas fundamentais de Jogo perigoso. Jessie e Gerald estão tendo problemas no relacionamento. Na tentativa de dar nova vida a seu casamento, viajam para uma região isolada no Maine. Mas um jogo de sexo acaba se transformando em prelúdio para uma noite de horror.

Durante o jogo, Jessie é acorrentada à cama, e, subitamente, Gerald morre diante de seus olhos. Está presa e logo percebe que não há chance de alguém ouvir seus gritos. É nesse momento que, impotente e acompanhada apenas do cadáver do marido, vê todos os seus maiores medos ressurgirem para torturá-la.

Jogo perigoso, de Stephen King, revela o estilo eletrizante que consagrou este mestre do terror moderno, e faz o leitor mergulhar numa trama fascinante e diabólica.


Eclipse Total (Dolores Claiborne)
Ano: 1992
Sinopse: Os moradores de Little Tall esperaram trinta anos para saber o que tinha acontecido no estranho e escuro dia em que morreu o marido de Dolores Claiborne – o dia do eclipse total. A polícia agora quer descobrir o que aconteceu ontem, quando a rica e inválida patroa de Dolores morre subitamente. Sem outra escolha senão falar, Dolores faz sua confissão revelando o sofrimento contido que pode levar o coração de uma mulher ao ódio. Quando é acusada de assassinato, a tragédia está apenas começando. E o que vem em seguida somente poderia ser concebido por Stephen King. O autor revela os mais sinistros segredos e os mais abomináveis pecados dos homens e mulheres de uma cidadezinha encravada no Maine, guiando o leitor em uma viagem aos subterrâneos da vida puritana desse lugar.


Pesadelos e Paisagens Noturnas I (Nightmares & Dreamscapes) – Livro de Contos
Ano: 1993
Sinopse: Pesadelos e paisagens noturnas é uma inquietante coleção de histórias selecionadas cuidadosamente por Stephen King, escritas em diferentes épocas, mas todas com a marca inigualável que lhe valeu reconhecimento mundial, capaz de prender até o final fãs novos e antigos desse consagrado escritor. Logo nas primeiras páginas, o leitor é levado para um mundo onde reinam o grotesco e extraordinário, um lugar de pesadelos sombrios e muito, muito reais.

 

 


Pesadelos e Paisagens Noturnas II (Nightmares & Dreamscapes) – Livro de Contos
Ano: 1993
Sinopse: Este livro apresenta onze contos fantásticos e assustadores de Stephen King, um autor que se dedica ao terror e ao sobrenatural há quase 30 anos.

 

 

 

 

 


Insônia (Insomnia)
Ano: 1994
Sinopse: Ralph Roberts é um viúvo aposentado que, subitamente, começa a sofrer de insônia. Primeiro, ele começa a acordar mais cedo. E mais cedo.

Conforme o quadro piora, ele começa a ver coisas invisíveis aos olhos dos outros —auras coloridas e seres que, por sua aparência, chama de “doutorzinhos carecas”. Através dessas visões, percebe outros planos de realidade e sua influência sobre o mundo “real”.

Logo, Roberts descobre que há um motivo aterrorizante para sua insônia e seus poderes: ele foi um dos escolhidos para lutar contra a destruição do mundo. Em uma trama que se entrelaça com a da série A Torre Negra, ele deve enfrentar o Rei Rubro para impedir que uma misteriosa profecia seja extinta.

Insônia é um romance eletrizante sobre os planos desconhecidos da existência humana, no qual Stephen King leva o leitor a uma viagem por mundos surpreendentes.


Rose Madder
Ano: 1995
Sinopse: Ao se casar com o policial Norman Daniels, Rosie não poderia imaginar que seu sonho se transformaria em uma sentença de morte. Seu marido é sádico, perverso e cruel. Rosie é, a partir desse dia, refém do medo. Rose Madder é a história corajosa de uma mulher que apostou que nem sempre vence o mais forte. O preço para liberdade é bem alto. Para sobreviver, ela precisará enfrentar o monstro quase mítico em que Norman se transformou. Só uma fera sobrenatural será capaz de detê-lo. A luta insana entre o homem e a mulher se faz para além do mundo real. Rosie se transforma em Rose Madder, alguém capaz de tudo.

 

 


À Espera de um Milagre (The Green Mile)
Ano: 1996
Sinopse: Uma trama de mistério e terror, ambientada nos anos 30, em plena Depressão americana, num cenário de desespero e sufoco: a Penitenciária de Cold Mountain. Stephen King foi buscar no lado mais sombrio de sua imaginação a história assombrosa de John Coffey, condenado à morte, e seu encontro fatal com o carcereiro Paul Edgecombe. Nas telas, o diretor Frank Darabont recria a história magistral de King, com Tom Hanks interpretando o guarda Edgecombe.

 

 

 


Desespero (Desperation)
Ano: 1996
Sinopse: Um gato espetado numa placa da Rodovia 50 – uma das mais solitárias dos Estados Unidos – revela que nem sempre é fácil chegarmos ao nosso destino. O professor Jackson e sua esposa, a família Caver e o escritor Jonh Marinville sabem disso. O trajeto até a cidade de Desespero indica que a viagem será sombria e assustadora. Afinal, ao longo deste insólito caminho existe Collie Entragian, um louco disposto a fazer das suas palavras a própria lei. Quem conseguirá sobreviver? Este é o ponto de partida do novo romance de Stephen King, Desespero

 

 


Saco de Ossos (Bag of bones)
Ano: 1998
Sinopse: Mike Noonan é um romancista de sucesso que vê sua vida subitamente transformada com a morte da esposa Jo. Quatro anos já se passaram e o sentimento é o mesmo – o desânimo, a tristeza, a sensação de que nunca mais será capaz de escrever. Diante da tela branca do computador, ele vê o vazio doloroso que passou a dominar seus dias. Nem mesmo o sono lhe traz alívio. Noonan é agora atormentado por terríveis pesadelos com Sara Laughs e a casa do lago – o recanto de sonhos onde ele e Jo foram tão felizes. Voltar à pequena cidade. Esta parece ser a única saída. Mike sente que precisa enfrentar o passado e tentar reencontrar seu caminho.
Sara Laughs, no entanto, já não é a mesma. Apesar da aparente tranqüilidade de sempre, sua comunidade vive atormentada pelo domínio cruel do milionário Max Devore, que não mede esforços para atingir seu grande objetivo: arrancar a neta de três anos da guarda da jovem mãe viúva. Pouco a pouco, Mike redescobre a paixão.
Mike Noonan reencontra um motivo para seus dias, mas a luta não será fácil. Além da fúria de Max Devore, Noonan terá de enfrentar forças estranhas e malignas que agora dominam Sara Laughs. Ele terá de descobrir de onde vêm os pesadelos cada vez mais terríveis que insistem em atormentá-los. Mike Noonan subitamente volta a escrever, mas não terá sossego até encontrar as respostas para as dúvidas que o atormentam. Que forças são essas que dominam a pequena cidade? O que esperam dela?


Sobre a Escrita (On Writing) – Não Ficção
Ano: 2000
Sinopse: Com uma visão prática e interessante da profissão de escritor, incluindo as ferramentas básicas que todo aspirante a autor deve possuir, Stephen King baseia seus conselhos em memórias vívidas da infância e nas experiências do início da carreira: os livros e filmes que o influenciaram na juventude; seu processo criativo de transformar uma nova ideia em um novo livro; os acontecimentos que inspiraram seu primeiro sucesso: Carrie, a estranha. Pela primeira vez, eis uma autobiografia íntima, um retrato da vida familiar de King. E, junto a tudo isso, o autor oferece uma aula incrível sobre o ato de escrever, citando exemplos de suas próprias obras e de best-sellers da literatura para guiar seus aprendizes. Usando exemplos que vão de H. P. Lovecraft a Ernest Hemingway, de John Grisham a J. R. R. Tolkien, um dos maiores autores de todos os tempos ensina como aplicar suas ferramentas criativas para construir personagens e desenvolver tramas, bem como as melhores maneiras de entrar em contato com profissionais do mercado editorial. O livro também não deixa de lado as memórias e experiências do mestre do terror: desde a infância até o batalhado início da carreira literária, o alcoolismo, o acidente quase fatal em 1999 e como a vontade de escrever e de viver ajudou em sua recuperação. Ao mesmo tempo um álbum de memórias e uma aula apaixonante, Sobre a escrita irradia energia e emoção no assunto predileto de King: literatura. A leitura perfeita para fãs, escritores e qualquer um que goste de uma história bem-contada. Eleito pela Time Magazine um dos 100 melhores livros de não ficção de todos os tempos e vencedor dos prêmios Bram Stoker e Locus na categoria Melhor não ficção, “Sobre a Escrita” é uma obra extraordinária de um dos autores mais bem-sucedidos de todos os tempos, uma verdadeira aula sobre a arte das letras.


9788581050331_300_site
A Casa Negra (The Black House, escrito com Peter Straub)
Ano: 2001
Sinopse: Jack Sawer não tem mais 12 anos, mas precisará da mesma coragem que o fez enfrentar os mistérios dos territórios. Agora, terá de encontrar novas forças para entrar numa casa medonha, perdida em uma floresta, e enfrentar os males insanos que a habitam. Ele não se recorda dos tormentos por que passou quando era menino, mas de alguma foram, sabe que o pior ainda está por vir.

 

 

 


O Apanhador de Sonhos (Dreamcatcher)
Ano: 2001
Sinopse: Em O Apanhador de Sonhos, Stephen King cria uma história sobre a verdadeira amizade e a memória. Num texto assustador e emocionante, conduz seus personagens por uma batalha inigualável com o mundo das trevas.

Eles ainda eram meninos quando viveram uma experiência que os marcaria para sempre, em Derry, a cidade mal-assombrada do Maine. Eram quatro meninos, com seus sonhos e seus medos. Quatro amigos que juntaram suas forças e foram capazes de um grande ato de coragem. A partir dali, tudo mudou, mas eles levariam um bom tempo até se darem conta disso.

O tempo passou. Outros caminhos, outras histórias, mas continuaram amigos. Cúmplices. Todos os anos, onde quer que estejam, interrompem suas vidas para uma temporada de caça nos bosques do Maine. Um momento para recordarem o passado e fortalecerem o sentimento que os une.

Nesse ano, algo diferente acontece: um forasteiro surge repentinamente no acampamento. Confuso, ele murmura frases desconexas. Assustado, fala de luzes no céu. Sua voz soa em meio ao grupo como uma estranha e aterradora profecia. Logo, os amigos percebem que o homem dizia a verdade e se encontram envolvidos numa luta contra uma poderosa criatura. Para sobreviver, terão de resgatar algo perdido na infância e contar com a ajuda do Apanhador de Sonhos.


Tudo é Eventual (Everything is eventual: 14 Dark Tales)
Ano: 2002
Sinopse: Stephen King escreve na introdução desta coletânea que “há poucos prazeres tão fantásticos quando sentar em minha poltrona preferida numa noite fria, com uma xícara de chá quente ao lado, escutando o vento lá fora e lendo um bom conto que posso terminar de uma assentada”. Esse prazer ele nos proporciona em TUDO É EVENTUAL. São 14 histórias de suspense, surpresas e terror, certeiras na arte de agarrar o leitor pelo pescoço e não largá-lo mais, até a última frase

 

 

 


Buick 8 (From a Buick 8)
Ano: 2002
Sinopse: A polícia da Pensilvânia esconde há anos um terrível segredo. Na escuridão do galpão 8, atrás da delegacia, um misterioso carro permanece guardado – um Buick Roadmaster. Invulnerável a arranhões e sujeira, dono de um motor bizarro que nunca funciona e capaz de recuperar-se sozinho de qualquer avaria, o automóvel esconde um enigma desafiador, sobrenatural e mortífero. Em BUICK 8 Stephen King apresenta uma história sobre o que os acontecimentos da vida têm de essencialmente indecifrável, e como é impossível encontrar neles um significado. Trata-se de um romance sobre a fascinação que todos sentimos pelo sobrenatural, sobre como insistimos em buscar respostas onde não existem, e sobre a mais poderosa das armas que dispomos – nossa imaginação.


Celular (Cell)
Ano: 2006
Sinopse: Onde você estava no dia 1º de outubro? O protagonista Clay Riddell estava em Boston, quando o inferno surgiu diante de seus olhos. Bastou um toque de celular para que tudo se transformasse em carnificina.
Depois de anos de tentativas frustradas, o artista gráfico Clay Riddell finalmente consegue vender um de seus livros de histórias em quadrinhos. Para comemorar, decide tomar um sorvete. Mas, antes de poder saboreá-lo, as pessoas ao seu redor, que por acaso falavam ao celular naquele momento, enlouquecem.
Fora de si, começam a atacar e matar quem passa pela frente. Carros e caminhões colidem e avançam pelas calçadas em alta velocidade, destruindo tudo. Aviões batem nos prédios. Ouvem-se tiros e explosões vindos de todas as partes.
Neste cenário de horror, Clay usa seu pesado portfolio para defender um homem prestes a ser abatido, Tom McCourt, e eles se tornam amigos. Juntos, eles resgatam Alice Maxwell, uma menina de 15 anos que sobreviveu a um ataque da própria mãe.
Os três sortudos — entre outros poucos que estavam sem celular naquele dia — tentam se proteger ao mesmo tempo em que buscam desesperadamente o filho de Clay. Assim, em ritmo alucinante, se desenrola esta história. O desafio é sobreviver num mundo virado às avessas. Será possível?


LOVE: A História de Lisey (Lisey’s Story)
Ano: 2006
Sinopse: Lisey Landon compartilhava uma intimidade profunda e às vezes assustadora com seu marido, Scott, um escritor célebre e cheio de segredos. Um desses segredos era a fonte de sua imaginação, um lugar com a capacidade de curá-lo ou destruí-lo. Agora, dois anos depois da morte de Scott, chega a vez de Lisey enfrentar os demônios de seu marido, embarcando em uma perigosa viagem na escuridão que ele habitava. Love é uma parábola sobre a imaginação e o amor, e sobre o poder do amor de transformar e de salvar.

 

 


Duma Key
Ano: 2008
Sinopse: Um acidente terrível em um canteiro de obras arranca o braço e a mão direitos de Edgar Freemantle e embaralha sua memória e sua mente. A raiva é praticamente tudo o que lhe resta enquanto inicia sua penosa recuperação. O casamento que gerou duas filhas maravilhosas termina de repente e Edgar começa a desejar não ter sobrevivido às lesões que quase o mataram. Seu psicólogo sugere uma “cura geográfica”, uma nova vida longe das cidades gêmeas de Minneapolis-Saint Paul e da empresa que ele construiu do nada. E sugere que Edgar também retome o hábito de desenhar.
Ele troca, então, Minnesota por uma casa alugada em Duma Key, uma ilhota de beleza extraordinária e estranhamente subdesenvolvida na costa da Flórida. Lá, ele ouve o chamado do sol se pondo no Golfo do México e da maré chacoalhando as conchas na praia – e desenha.
Uma visita de Ilse, sua filha mais querida, o incentiva a abandonar a solidão. Ele encontra um amigo em Wireman – um homem que reluta em revelar suas próprias feridas – e, posteriormente, em Elizabeth Eastlake – uma idosa cujas raízes estão fincadas em Duma Key. Edgar passa a pintar – às vezes de modo febril -, e seu talento em combustão se revela tanto uma dádiva quanto uma arma. Muitos de seus quadros têm um poder que não pode ser controlado. Quando os fantasmas do passado de Elizabeth começam a surgir, descobrimos o perigo que suas pinturas surreais representam.
Ao nos revelar a tenacidade do amor, os riscos da criatividade, os mistérios da memória e a natureza do sobrenatural, Stephen King escreve um romance ao mesmo tempo sublime, cativante e assustador.


Todos os Livros de Stephen KingAo Cair da Noite (Just After Sunset) – Livro de Contos
Ano: 2008
Sinopse: “Nesta coletânea de 13 contos, vemos um mestre do suspense bem à vontade com suas histórias e claramente se divertindo… Esta satisfação se faz presente nos detalhes brilhantes e no virtuosismo facilmente identificável em seus contos. Sem fórmulas ou atalhos cansativos.” – Charlotte Observer

 

 

 

 


Sob a Redoma (Under The Dome)
Ano: 2009
Sinopse: Na trama, em um dia como outro qualquer em Chester’s Mill, no Maine, a pequena cidade é subitamente isolada do resto do mundo por um campo de força invisível. Aviões explodem quando tentam atravessá-lo e pessoas trabalhando em cidades vizinhas são separadas de suas famílias. Ninguém consegue entender o que é esta barreira, de onde ela veio e quando — ou se — ela irá desaparecer.

Os moradores de Chester’s Mill percebem que terão de lutar por sua sobrevivência. Pessoas morrem, aparelhos eletrônicos entram em pane ao se aproximar da redoma e a situação fica ainda mais grave quando a cidade se vê exposta às graves consequências ecológicas da barreira. Para piorar a situação, James “Big Jim” Rennie, político dissimulado e um dos três membros do conselho executivo da cidade, usa a redoma como um meio de dominar a cidade.

Enquanto isso, o veterano da guerra do Iraque, Dale Barbara, é reincorporado ao serviço militar e promovido à posição de coronel. Big Jim, insatisfeito com a perda de autoridade que tal manobra poderia significar, encoraja um sentimento local de pânico para aumentar seu poder de influência. O veterano se une a um grupo de moradores para manter a situação sob controle e impedir que o caos se instaure. Junto a ele estão a proprietária do jornal local, uma enfermeira, uma vereadora e três crianças destemidas.

No entanto, Big Jim está disposto até a matar para continuar no poder, apoiado por seu filho, que guarda a sete chaves um segredo. Mas os efeitos da redoma e das manobras políticas de Jim Rennie não são as únicas preocupações dos habitantes. O isolamento expõe os medos e as ambições de cada um, até os sentimentos mais reprimidos. Assim, enquanto correm contra o pouco tempo que têm para descobrir a origem da redoma e uma forma de desfazê-la, ainda terão de combater a crueldade humana em sua forma mais primitiva.


Todos os Livros de Stephen KingEscuridão Total, Sem Estrelas (Full Dark, No Stars)
Ano: 2010
Sinopse: Nos anos 20, Karen Blixen (Meryl Streep), uma rica dinamarquesa, vai morar em uma fazenda de café no Quênia com Bror Blixen-Finecke (Klaus Maria Brandauer), um barão com quem se casou por conveniência. Sendo mais amigos que amantes, o casal acaba se separando e enquanto ele vai embora ela continua trabalhando e se adaptando ao novo lar. Até que conhece Denys Finch Hatton (Robert Redford), um aventureiro e aristocrata inglês com quem tem um forte envolvimento e se torna o grande amor da sua vida.

 

 


Novembro de 63 (11/22/63)
Ano: 2011
Sinopse: A vida pode mudar num instante, e dar uma guinada extraordinária. É o que acontece com Jake Epping, um professor de inglês de uma cidade do Maine. Enquanto corrigia as redações dos seus alunos do supletivo, Jake se depara com um texto brutal e fascinante, escrito pelo faxineiro Harry Dunning. Cinquenta anos atrás, Harry sobreviveu à noite em que seu pai massacrou toda a família com uma marreta. Jake fica em choque… mas um segredo ainda mais bizarro surge quando Al, dono da lanchonete da cidade, recruta Jake para assumir a missão que se tornou sua obsessão: deter o assassinato de John Kennedy. Al mostra a Jake como isso pode ser possível: entrando por um portal na despensa da lanchonete, assim chegando ao ano de 1958, o tempo de Eisenhower e Elvis, carrões vermelhos, meias soquete e fumaça de cigarro.

Após interferir no massacre da família Dunning, Jake inicia uma nova vida na calorosa cidadezinha de Jodie, no Texas. Mas todas as curvas dessa estrada levam ao solitário e problemático Lee Harvey Oswald. O curso da história está prestes a ser desviado… com consequências imprevisíveis.

Em Novembro de 63, livro inédito de Stephen King, a viagem no tempo nunca foi tão plausível… e aterrorizante.


Joyland
Ano: 2013
Sinopse: Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.
Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria.
O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.


Doutor Sono (Doctor Sleep)
Ano: 2013
Sinopse: Mais de trinta anos depois, Stephen King revela a seus leitores o que aconteceu a Danny Torrance, o garoto no centro de O iluminado, depois de sua terrível experiência no Overlook Hotel. Em Doutor Sono, King dá continuidade a essa história, contando a vida de Dan, agora um homem de meia-idade, e Abra Stone, uma menina de 12 anos com um grande poder. Seus destinos se cruzam com uma tribo chamada Verdadeiro Nó, que viaja em trailers pelas rodovias da América. Eles parecem inofensivos-em sua maioria idosos, com roupas fora de moda, vivendo vidas nômades. Mas como Dan sabe, e Abra logo irá descobrir, o Verdadeiro Nó é um grupo quase imortal, que se alimenta do vapor exalado por crianças iluminadas quando são lentamente torturadas até a morte.

Assombrado pelos habitantes do Overlook Hotel, onde passou um ano terrível de sua infância, Dan ficou à deriva por décadas, desesperado para se livrar do legado de alcoolismo e violência do pai. Finalmente, ele se instala em uma cidade de New Hampshire, onde encontra abrigo em uma comunidade do Alcoólicos Anônimos que o apoia e um emprego em uma casa de repouso, onde seu poder remanescente da iluminação fornece o conforto final para aqueles que estão morrendo. Ajudado por um gato que prevê a morte dos pacientes, ele se torna o Doutor Sono.
Então Dan conhece Abra Stone, uma menina com um dom espetacular, a iluminação mais forte que já se viu. Ela desperta os demônios de seu passado e Dan se vê envolvido em uma batalha pela alma e sobrevivência dela. Uma guerra épica entre o bem e o mal, uma sangrenta e gloriosa história que vai emocionar os milhões de fãs de O Iluminado e satisfazer os leitores deste novo clássico da obra de King.


Mr. Mercedes
Ano: 2014
Sinopse: Nas frigidas madrugadas, em uma angustiante cidade do Centro-Oeste, centenas de pessoas desempregadas estão na fila para uma vaga numa feira de empregos. Sem qualquer aviso um motorista solitário irrompe no meio da multidão em um Mercedes roubado, atropelando os inocentes, dando ré e voltando a atropelá-los. Oito pessoas são mortas, quinze feridos.

Em outra parte da cidade, meses mais tarde, um policial aposentado chamado Bill Hodges é ainda assombrado por um crime sem solução. Quando ele recebe uma carta enlouquecida de alguém que se auto-identifica como privilegiado e ameaça um ataque ainda mais diabólico, Hodges acorda de sua deprimente e vaga aposentadoria, empenhado em evitar outra tragédia.

Brady Hartfield vive com sua mãe alcoólatra na casa onde ele nasceu. Ele adorou a sensação de morte sob as rodas da Mercedes, e ele quer aquela corrida de novo. Apenas Bill Hodges, com um par de aliados altamente improváveis, pode prender o assassino antes que ele ataque novamente. E eles não têm tempo a perder, porque na próxima missão de Brady, se for bem sucedido, vai matar ou mutilar milhares.

Mr. Mercedes é uma guerra entre o bem e o mau, do mestre do suspense, cuja visão sobre a mente deste obcecado assassino insano é arrepiante e inesquecível.


Revival
Ano: 2014
Sinopse: Em uma cidadezinha na Nova Inglaterra, mais de meio século atrás, uma sombra recai sobre um menino que brinca com seus soldadinhos de plástico no quintal. Jamie Morton olha para o alto e vê a figura impressionante do novo pastor. O reverendo Charles Jacobs, junto com a bela esposa e o filho, chegam para reacender a fé local. Homens e meninos, mulheres e garotas, todos ficam encantados pela família perfeita e os sermões contagiantes.

Jamie e o reverendo passam a compartilhar um elo ainda mais forte, baseado em uma obsessão secreta. Até que uma desgraça atinge Jacobs e o faz ser banido da cidade.

Décadas depois, Jamie carrega seus próprios demônios. Integrante de uma banda que vive na estrada, ele leva uma vida nômade no mais puro estilo sexo, drogas e rock and roll, fugindo da própria tragédia familiar. Agora, com trinta e poucos anos, viciado em heroína, perdido, desesperado, Jamie reencontra o antigo pastor. O elo que os unia se transforma em um pacto que assustaria até o diabo, com sérias consequências para os dois, e Jamie percebe que “reviver” pode adquirir vários significados.


Achados e Perdidos (Finders Keepers)
Ano: 2015
Sinopse: “— Acorde, gênio.”Assim King começa a história de Morris Bellamy. O gênio é John Rothstein, um autor consagrado que há muito abandonou o mundo literário. Bellamy é seu maior fã e seu maior crítico. Inconformado com o fim que o autor deu a seu personagem favorito, ele invade a casa de Rothstein e rouba os cadernos com produções inéditas do escritor, antes de matá-lo. Morris esconde os cadernos pouco antes de ser preso por outro crime. Décadas depois, é Peter Saubers, um garoto de treze anos, quem encontra o tesouro enterrado. Quando Morris é solto da prisão, depois de trinta e cinco anos, toda a família Saubers fica em perigo. Cabe ao ex-detetive Bill Hodges e a seus ajudantes, Holly e Jerome, protegê-los de um assassino agora ainda mais perigoso e vingativo.


Todos os Livros de Stephen KingO Bazar dos Sonhos Ruins
Ano: 2015
Sinopse: “Mestre das histórias curtas, o que Stephen King oferece neste livro é uma coleção generosa de contos – muitos deles inéditos no Brasil. E, antes de cada história, o autor faz pequenos comentários autobiográficos, revelando quando, onde, por que e como veio a escrever (ou reescrever) cada uma delas.
Temas eletrizantes interligam os contos; moralidade, vida após a morte, culpa, os erros que consertaríamos se pudéssemos voltar no tempo… Muitos deles são protagonizados por personagens no fim da vida, relembrando seus crimes e pecados. Outros falam de pessoas descobrindo superpoderes – como o colunista, em “Obituários”, que consegue matar pessoas ao escrever sobre suas mortes; ou o velho juiz em “A duna”, que ainda criança descobre uma pequena ilha onde nomes surgem misteriosamente na areia – nome de pessoas que logo morrem em acidentes bizarros. Em “Moralidade”, King narra a vida de um casal que vai se despedaçando quando os dois mergulham no que, a princípio, parece um vantajoso pacto com o Diabo.


Ultimo Turno (End of Watch)
Ano: 2016
Sinopse: Brady Hartsfield, o diabólico Assassino do Mercedes, está há cinco anos em estado vegetativo em uma clínica de traumatismo cerebral. Segundo os médicos, qualquer coisa perto de uma recuperação completa é improvável. Mas sob o olhar fixo e a imobilidade, Brady está acordado, e possui agora poderes capazes de criar o caos sem que sequer precise deixar a cama de hospital. O detetive aposentado Bill Hodges agora trabalha em uma agência de investigação com Holly Gibney, a mulher que desferiu o golpe em Brady. Quando os dois são chamados a uma cena de suicídio que tem ligação com o Massacre do Mercedes, logo se veem envolvidos no que pode ser seu caso mais perigoso até então. Brady está de volta e, desta vez, não planeja se vingar apenas de seus inimigos, mas atingir toda uma cidade.

Em Último turno, Stephen King leva a trilogia a uma conclusão sublime e aterrorizante, combinando a narrativa policial de Mr. Mercedes e Achados e perdidos com o suspense sobrenatural que é sua marca registrada.


download (4)Belas Adormecidas (Sleeping Beauties, escrito com o filho Owen King
Ano: 2017
Sinopse: Pelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se despertadas, se o casulo é rasgado e os corpos expostos, as mulheres se tornam bestiais, reagindo com fúria cega antes de voltar a dormir.
Em poucos dias, quase cem por cento da população mundial feminina pegou no sono. Sozinhos e desesperados, os homens se dividem entre os que fariam de tudo para proteger as mulheres adormecidas e aqueles que querem aproveitar a crise para instaurar o caos.
Grupos de homens formam as “Brigadas do Maçarico”,incendeiam em massa casulos, e em diversas partes do mundo guerras parecem prestes a eclodir. Mas na pequena cidade de Dooling as autoridades locais precisam lidar com o único caso de imunidade à doença do sono: Evie Black, uma mulher misteriosa com poderes inexplicáveis.
Escrito por Stephen King e Owen King, Belas Adormecidas é um livro provocativo, dramático e corajoso, que aborda temas cada vez mais urgentes e relevantes.


61q6ApgzQILOutsider
Ano: 2018
Sinopse: O corpo de um menino de onze anos é encontrado abandonado no parque de Flint City, brutalmente assassinado. Testemunhas e impressões digitais apontam o criminoso como uma das figuras mais conhecidas da cidade — Terry Maitland, treinador da Liga Infantil de beisebol, professor de inglês, casado e pai de duas filhas.
O detetive Ralph Anderson não hesita em ordenar uma prisão rápida e bastante pública, fazendo com que em pouco tempo toda a cidade saiba que o Treinador T é o principal suspeito do crime. Maitland tem um álibi, mas Anderson e o promotor público logo têm amostras de DNA para corroborar a acusação. O caso parece resolvido.
Mas conforme a investigação se desenrola, a história se transforma em uma montanha-russa, cheia de tensão e suspense. Terry Maitland parece ser uma boa pessoa, mas será que isso não passa de uma máscara? A aterrorizante resposta é o que faz desta uma das histórias mais perturbadoras de Stephen King.


28000519_gg

A Pequena Caixa de Gwendy (Gwendy’s Button Box), escrito com Richard Chizmar
Ano: 2018
Sinopse: Viaje de volta a Castle Rock nesta história eletrizante de Stephen King, o mestre do terror, e Richard Chizmar, autor premiado de A Long December. O universo misterioso e assustador dessa pacata cidadezinha do Maine já foi cenário de outros clássicos de King, como Cujo e A zona morta, e deu origem à série de TV da Hulu.
Há três caminhos para subir até Castle View a partir da cidade de Castle Rock: pela rodovia 117, pela Estrada Pleasant e pela Escada Suicida. Em todos os dias do verão de 1974, Gwendy Peterson, de doze anos, vai pela escada, que fica presa por parafusos de ferro fortes (ainda que enferrujados pelo tempo) e sobe em ziguezague pela encosta do penhasco.
Certo dia, um estranho a chama do alto: “Ei, garota. Vem aqui um pouco. A gente precisa conversar, você e eu”. Em um banco na sombra, perto do caminho de cascalho que leva da escada até o Parque Recreativo de Castle View, há um homem de calça jeans preta, casaco preto e uma camisa branca desabotoada no alto. Na cabeça tem um chapeuzinho preto arrumado.
Vai chegar um dia em que Gwendy terá pesadelos com isso.


Série: A Torre Negra (The Dark Tower)


Todos os Livros de Stephen KingA Torre Negra Vol. I – O Pistoleiro (The Gunslinger)
Ano: 1982
Sinopse:Este livro é o primeiro dos sete volumes da série A Torre Negra, obra mais ambiciosa do escritor Stephen King. O Pistoleiro apresenta ao leitor o fascinante personagem de Roland Deschain, último descendente do clã de Gilead, e derradeiro representante de uma linhagem de implacáveis pistoleiros desaparecida desde que o Mundo Médio onde viviam “seguiu adiante”.

Para evitar a completa destruição desse mundo já vazio e moribundo, Roland precisa alcançar a Torre Negra, eixo do qual depende todo o tempo e todo o espaço, e verdadeira obsessão para Roland, seu Cálice Sagrado, sua única razão de viver. O pistoleiro acredita que um misterioso personagem, a quem se refere como o homem de preto, conhece e pode revelar segredos capazes de ajudá-lo em sua busca pela Torre Negra, e por isso o persegue sem descanso. Pelo caminho, encontra pessoas que pertencem a seu ka-tet – ou seja, cujo destino está irremediavelmente ligado ao seu.

Entre eles estão Alice, uma mulher que Roland encontra na desolada cidade de Tull, e Jake Chambers, um menino que foi transportado para o mundo de Roland depois de morrer em circunstâncias trágicas na Nova York de 1977. Mas o pistoleiro não conseguirá chegar sozinho ao fim da jornada que lhe foi predestinada. Na verdade, sua aventura se estenderá para outros mundos muito além do Mundo Médio, levando-o a realidades que ele jamais sonhara existir.

Inteiramente revista pelo autor, esta primeira edição brasileira de O Pistoleiro traz também prefácio e introdução inéditos de King.


Todos os Livros de Stephen KingA Torre Negra Vol. II – A Escolha dos Três (The Drawing of the Three)
Ano: 1987
Sinopse: As cartas revelam aqueles que Roland deverá escolher para ajudá-lo em sua busca: O Prisioneiro, A Dama das Sombras e A Morte. Roland encontra três portas que o levam do Mundo Médio para três épocas diferentes. A primeira o transporta a 1987 e a Eddie Dean, um viciado em heroína. É O Prisioneiro, refém de seu vício. A segunda o transporta à mesma cidade, à década de 1960. A Dama das Sombras que Roland encontra é Odetta Holmes, uma ativista política cuja dupla identidade corresponde à Detta Walker, rebelde e cleptomaníaca. A terceira porta o leva a 1977, onde encontra Jack Mort, A Morte. Jack é um assassino inescrupuloso, responsável pela primeira morte de Jake. Durante seu domínio sobre Jack, o pistoleiro conseguiu evitar a morte de Jake, criando duas linhas de tempo diferentes em sua cabeça e na do menino. Ambos começam a ser dilacerados por essa dualidade, que será um dos temas principais do próximo livro.


A Torre Negra Vol. III – As Terras Devastadas (The Waste Lands)
Ano: 1991
Sinopse: Com As Terras Devastadas, terceiro volume da magistral saga épica A Torre Negra, entramos mais uma vez no reino de uma das imaginações mais poderosas de nossa época: a do escritor norte-americano Stephen King. Neste romance emocionante, Roland, o último pistoleiro, se aproxima ainda mais da Torre Negra de seus sonhos e pesadelos – atravessando um deserto amaldiçoado em um mundo macabro que é uma imagem distorcida do nosso próprio mundo.
Junto com Roland estão dois daqueles que ele levou consigo para esse universo: o ex-viciado nova-iorquino Eddie Dean e Susannah, nova identidade da mulher que combina em um mesmo corpo duas personalidades distintas. À sua frente estão as extraordinárias revelações sobre quem ele é e o que o motiva em sua busca. E contra ele se perfila uma legião cada vez mais numerosa de inimigos, humanos ou não.
“A medida que o ritmo da ação e aventura, da descoberta e do perigo se acelera cada vez mais, o leitor é irremediavelmente absorvido por um drama espetacular, ao mesmo tempo assustador como um pesadelo… e estranhamente familiar. As Terras Devastadas é uma história magnífica, mais um testemunho do imenso talento de Stephen King.
Inspirada no universo imaginário de J.R.R. Tolkien, no poema épico do século XIX “Childe Roland “a Torre Negra Chegou”, e repleta de referências à cultura pop, às lendas arturianas e ao faroeste, A Torre Negra mistura ficção científica, fantasia e terror numa narrativa que forma um verdadeiro mosaico da cultura popular contemporânea.


A Torre Negra Vol. IV – Mago e Vidro (Wizard and Glass)
Ano: 1997
Sinopse: A estranha e inesquecível odisséia de Roland de Gilead em busca da Torre Negra continua. No quarto volume da série imaginada por Stephen King, novos perigos ameaçam o ka-tet de Roland – formado por Jake, Eddie Dean, Sussanah e Oi.
Mago e Vidro retoma a eletrizante narrativa interrompida em As Terras Devastadas. Depois de enfrentar a terrível ameaça do monotrilho Blaine, o último pistoleiro e seus seguidores desembarcam na cidade de Topeka, no Kansas, e retomam o caminho do Feixe de Luz que conduz à Torre Negra. Roland revela então aos companheiros a história de seu passado, e a trágica perda de seu grande amor de juventude, a bela Susan Delgado.
Prosseguindo em sua jornada, o ka-tet chega a um palácio de vidro verde onde encontra ninguém menos do que o antigo nêmesis de Roland: Marten Broadcloak, conhecido em alguns mundos como Randall Flagg, em outros como Richard Fannin, e em outros ainda como John Farson, o Homem Bom. E Roland e seus companheiros descobrem então uma pavorosa verdade sobre o passado do pistoleiro…

Inspirada no universo imaginário de J.R.R. Tolkien e no poema épico do século XIX “Childe Roland à Torre Negra Chegou”, A Torre Negra mistura ficção científica, fantasia e terror numa narrativa que forma um verdadeiro mosaico da cultura popular contemporânea.


A Torre Negra Vol. V – Lobos de Calla (Wolves of the Calla)
Ano: 2003
Sinopse: Depois de escapar das perigosas entranhas de Blaine, o monotrilho desgovernado, e das garras do vingativo feiticeiro Randall Flagg, Roland e seu Ka-tet retomam o caminho do Feixe de Luz que conduz à Torre Negra, centro de todo tempo e todo espaço.
Nas fronteiras do Mundo Médio, o grupo de pistoleiros é abordado por um assustado grupo de representantes da cidade de Calla Bryn Sturgis. Dali a menos de um mês, Calla será atacada pelos Lobos – cavaleiros mascarados que surgem uma vez a cada geração, para roubar metade das crianças da cidade e devolvê-las semanas depois, física e mentalmente incapacitadas.
Enquanto isso, na Nova York de 1977, a Corporação Sombra planeja atacar o terreno baldio na esquina da Segunda Avenida com a Rua Quarenta e Seis onde floresce uma rosa – na verdade a Rosa, manifestação da Torre Negra no mundo atual.
Como Roland e seus amigos poderão ao mesmo tempo salvar a Rosa e combater os Lobos? Somente com a ajuda do Treze Preto, o mais poderoso dos Globos do Mago, na verdade o próprio olho do Rei Rubro. Mas, para alvar o mundo do caos, os pistoleiros terão de aprender a confiar nesse objeto sinistro e traiçoeiro…
Inspirada no universo imaginário de J.R.R. Tolkien e no poema épico do século XIX “Childe Roland à Torre Negra Chegou”, A Torre Negra mistura ficção científica, fantasia e terror numa narrativa que forma um verdadeiro mosaico da cultura popular contemporânea.


A Torre Negra Vol. VI – Canção de Susannah (Song of Susannah)
Ano: 2004
Sinopse: O penúltimo de sete volumes dessa obra imensa de Stephen King, a Canção de Susannah, é muito mais do que uma eletrizante história de vigoroso suspense. Também é uma revelação – e uma chave fascinante para o desenrolar do mistério da Torre Negra.

 

 

 

 


A Torre Negra Vol. VII – A Torre Negra (The Dark Tower)
Ano: 2004
Sinopse: Neste volume a obra apresenta o desfecho da missão implacável de Roland Deschain para chegar à Torre Negra. O pistoleiro Roland é obcecado por uma enorme corrente de energia que emana da torre que ele busca – e que precisa ser resgatada, pois está enfraquecendo. No decorrer da saga, Roland recruta um viciado em drogas, uma mulher sem pernas, um padre amaldiçoado e um ‘filho’, além de um animal inventado, o trapalhão Oi, para ser seu ka-tet, ou bando. Este o acompanhará na missão para achar a torre das mãos do Rei Rubro e seus aliados, cuja missão é a destruição da torre e do mundo.

 

 


A Torre Negra – O Vento pela Fechadura (The Wind Through the Keyhole)
Ano: 2012
Sinopse: Em “O vento pela fechadura”, Stephen King retorna ao Mundo Médio, cenário da “A Torre Negra”. O novo livro encaixa mais uma peça no vasto quebra- cabeças que cerca a saga, oferecendo lendas e histórias fantásticas de Gilead, ao mesmo tempo em que investiga o passado doloroso do pistoleiro Roland Deschain. No meio do caminho entre o Palácio Verde e Calla, o pistoleiro Roland Deschain e seu ka-tet — Jake, Susannah, Eddie e Oi, o trapalhão — são obrigados a acampar numa cidade fantasma. Caso contrário, seriam congelados com a chegada súbita e mortal de uma borrasca, tempestade única ao Mundo Médio. Para afastar o tédio da espera, Roland distrai o grupo com uma história de seu passado. Porém, no centro dessa lembrança, o jovem Roland, do passado, também narra uma fábula de sua infância, registrada em seu livro favorito: “O vento pela fechadura”. A lenda do menino Tim e suas aventuras em busca do mago Merlyn acabam revelando muitas verdades sobre Gilead, o Mundo Médio e o Pistoleiro.

Esse livro se encaixaria entre o 4 e o 5


Sob o pseudônimo de Richard Bachman


Fúria (Rage)
Ano: 1977
Sinopse: Fúria (Rage, no original em inglês), foi escrito por Stephen King em 1966, mas somente publicado em 1977, depois de Carrie (1974), sob o pseudônimo de Richard Bachman.O livro conta a história de um aluno que, armardo, torna reféns professores e colegas.O livro causou certa polêmica nos Estados Unidos depois que alguns jovens seguiram o exemplo do personagen e transformaram suas escolas num verdadeiro inferno. Eles confessaram haver lido o livro Rage e se inspirado nele para cometer os seus delitos. Stephen King tirou o livro de circulação e, hoje, Rage se tornou um dos livros mais raros do autor de inúmeros bestsellers.

Neste livro King narra a história de Charlie Decker, um estudante secundário de uma pequena cidade chamada Placerville, no Maine. Após ser expulso de seu colégio, armado com uma pistola que pertence ao seu pai, ele volta ao colégio mata sua professora e mantém seus colegas como reféns. Charlie e seus colegas começam apartir daí um jogo perverso onde cada um colocará perante todos suas raivas mais intensas. Raivas contra o sistema educativo, contra as desigualdades socias, contra a sociedade, contra o inevitável em suas jovens vidas.


A Longa Marcha/Caminhada da Morte (The Long Walk)
Ano: 1979
Sinopse: Em um futuro próximo, onde os Estados Unidos se tornou um estado militar, cem garotos são selecionados para entrar em uma competição anual, onde o vencedor é premiado com o que ele desejar, para o resto de sua vida. As regras são simples: manter um ritmo de marcha constante, de seis quilômetros por hora, sem parar. Três advertências, e você está fora, permanentemente.

 

 

 

 


A Auto-Estrada (Roadwork)
Ano: 1981
Sinopse: Um homem parado no meio da rua é entrevistado. Suas palavras são uma ácida crítica à construção de uma rodovia interestadual. Ele é Barton George Dawes, funcionário de uma lavanderia, que recentemente perdeu seu único filho, vítima de um tumor inoperável no cérebro.
Esse é o ponto de partida de A Auto-Estrada, um suspense psicológico eletrizante que alia a marca consagrada de Stephen King ao ponto de vista muito particular de seu alter ego Richard Bachman. O lugar é o Meio-Oeste americano; o ano é 1973, época de inquietação política e social nos Estados Unidos, da Guerra do Vietnã e do governo Nixon. No momento, Bart tem sua vida absolutamente desintegrada por um profundo luto. Por conseqüência, todas as relações de sua vida se fragilizam, entre elas o casamento. A construção da auto-estrada traz à tona um novo embate: sua esposa decide vender a casa onde moram para a empresa responsável pela obra que, por sua vez, pretende demoli-la. Em conflito, Bart se mostra pouco capaz de separar-se do imóvel, interligado afetivamente à sua infância e à memória do filho. Com o casamento em ruínas e já sem emprego, o desnorteado protagonista entra em uma loja para comprar duas armas e muita munição. A amizade com um traficante de carros usados facilita o acesso de Dawes a todo tipo de material explosivo. Aí tem início uma implacável jornada cujo foco é destruição das obras da rodovia, sua inimiga declarada. Publicado originalmente em 1981, A Auto-estrada aborda a transitoriedade da existência humana como causa do grande fracasso de uma sociedade em amadurecimento. ?O livro foi um esforço para dar sentido à dolorosa morte da minha mãe, que faleceu um ano antes da publicação, vítima de um prolongado câncer. A doença a levou embora tirando dela cada pedaço, e eu fui deixado em aflição e sofrimento, balançado pela aparente falta de sentido em todas as coisas. “A Auto-Estrada é um livro que tenta profundamente parecer bom e encontrar algumas respostas para os mistérios que envolvem a dor nos seres humanos?, explica Stephen King.


O Concorrente (The Running Man)
Ano: 1982
Sinopse: Reality shows, o uso de aviões como armas e até a volta das microssaias…A mente visionária de Stephen King já previa tudo isso em 1982, quando escreveu O Concorrente. Em 2025, um homem sem dinheiro para tratar a filha doente tenta a sorte num programa de TV do qual ninguém jamais saiu vivo. Escrevendo sob o pseudônimo de Richard Bachman, King se aventura no terreno da ficção-científica. No ano de 2025 de Bachman, a TV domina as casas e drogas são vendidas em máquinas automáticas, o ar puro é para poucos que conseguem pagar, então Ben Richard embarca numa louca disputa via telinha para salvar sua filha, um jogo macabro onde ninguém sai vivo.

Este livro escrito em 1980 inspirou a sétima arte com o filme O Sobrevivente (The Running Man), estrelado por Arnold Schwarznegger em 1987.


1984 – A Maldição do Cigano (Thinner)
Ano: 1984
Sinopse: Com uma rotina tranquila, bem casado, o advogado Bill Halleck não tinha muitos problemas na vida. A não ser o peso. Mas por nada no mundo dispensaria os dois ovos com bacon do café da manhã ou os pacotes de Doritos diariamente devorados. Tudo iria mudar drasticamente naquele maldito dia. A velha cigana se pôs em seu caminho e Bill não conseguiu parar o carro. Ao mesmo tempo em que as rodas esmagavam a velha, a vida de Halleck começava a ser destruída. Considerado inocente pela justiça humana, não pôde fugir à maldição soprada por Taduz Lemke, o patriarca dos ciganos, na saída do tribunal. ‘Emagrecido’, praguejou o velho. A partir desta dia, os 111 quilos de Bill passam a ser sugados vertiginosamente. Se não conseguir deter a maldição cigana, em pouco tempo Bill não será mais do que um feixe de ossos.


Os Livros de Bachman (The Bachman Books)
Ano: 1985
Sinopse: Durante anos os leitores dessas quatro novelas escreveram para “Richard Bachman” perguntando se o autor não era na verdade Stephen King escrevendo sob pseudônimo. Agora o segredo foi revelado – e assim todas as quatro mesmerizantes histórias de suspense e choque estão pela primeira vez reunidas em um só volume

FÚRIA: Uma sessão de “mostre-e-conte” de faculdade explode num pesadelo diabólico…

A LONGA MARCHA: Só a morte separa você da linha de chegada – na competição definitiva de um futuro próximo demais…

A AUTO-ESTRADA: O que acontece quando um homem bom-e-zangado se vinga de um assassinato – com mais alguns…

O SOBREVIVENTE: (A história que inspirou o sucesso do cinema com Arnold Shcwarzenegger) Ano 2025: Quando os melhores homens não competem pela presidência. Competem pelas suas vidas!

Antologia com os 4 primeiros livros escritos de Stephen King sob o pseudônimo de Richard Bachman: Fúria (Rage, 1977): Charlie Decker é um garoto problemático, e seus pais, amigos, professores e mais um conjunto de eventos o fizeram pirar. Charlie tem uma arma, Charlie é perigoso. Ele segue para a aula e mata sua professora de álgebra e mais outro professor, enquanto mantém a sala de refém. Começa então um jogo psicológico mortal entre Charlie e seus colegas. Os segredos íntimos deles são revelados um a um e a ansiedade pouco a pouco se instala. É uma lição que Charlie quer que nunca esqueçam. A Longa Marcha (The Long Walk, 1979): A Longa Marcha é um evento anual que reúne cem rapazes. É uma competição futurística cujo prêmio é um desejo realizado, seja qual for. As regras são claras: durante todo o percurso não se pode parar, e aquele que for advertido três vezes por andar numa velocidade abaixo da requisitada é eliminado da corrida. Seria uma excelente competição, se a eliminação não fosse no sentido literal da palavra… A Autoestrada (Roadwork, 1981): Sofrendo pela morte de seu filho e pela instabilidade de seu casamento, Bart Dawes descobre que sua casa e seu negócio serão demolidos para a construção de uma autoestrada. Mas ele não se renderá assim tão facilmente. Munido com armas, balas e muita determinação, Bart seguirá em frente em sua missão pessoal de salvar o último refúgio que lhe resta, sem se importar com o resultado. Ele não tem mais nada a perder. O Sobrevivente (The Running Man, 1982): Num futuro onde a televisão tem mais valor do que a comida, Ben Richards entra num reality show mortal em busca de dinheiro para salvar sua filhinha doente. As regras do programa são simples: Ben pode se deslocar para qualquer parte do mundo que consiga chegar, ao mesmo tempo em que é perseguido por caçadores cuja missão é matá-lo. Ele deve gravar um vídeo todo dia para provar que está vivo. Quanto mais tempo ele conseguir sobreviver, mais dinheiro ele ganhará. Conseguirá ele chegar ao fim do jogo e salvar sua filha? Observação relevante: O romance “Fúria” foi banido do mercado pelo autor. Por esse motivo, não há mais edições impressas, somente nessa antologia, por esse motivo esse livro se tornou um dos mais raros e caros do autor.


Os Justiceiros (The Regulators)
Ano: 1996
Sinopse: “Uma das janelas laterais do furgão começa a baixar. Surge o cano de uma escopeta. Tem uma cor esquisita, não exatamente prata nem cinza. Os canos iguais parecem o símbolo do infinito pintado de negro” – Richard Bachman

Tarde de verão em Ohio. Nada parece fora do lugar na calma rua dos ÿlamos. Um menino entrega o jornal, crianças brincam no jardim e os irmãos Caver discutem normalmente. O problema é o furgão vermelho no alto da ladeira. Falta pouco para ele começar a descer e transformar esta bucólica paisagem num mar de sangue. Quem conseguir sobreviver a esta tarde de horror vai perceber as regras que movem o mundo dos justiceiros. Um universo onde tudo pode acontecer. Esta é a trama do livro Os Justiceiros, obra de Stephen King sob o pseudônimo de Richard Bachman.

Anúncios

Poema negro – Augusto dos Anjos

Augusto-dos-Anjos

Poema negro
          A Santos Neto

Para iludir minha desgraça, estudo.
Intimamente sei que não me iludo.
Para onde vou (o mundo inteiro o nota)
Nos meus olhares fúnebres, carrego
A indiferença estúpida de um cego
E o ar indolente de um chinês idiota!

A passagem dos séculos me assombra.
Para onde irá correndo minha sombra
Nesse cavalo de eletricidade?!
Caminho, e a mim pergunto, na vertigem:
— Quem sou? Para onde vou? Qual minha origem?
E parece-me um sonho a realidade.

Em vão com o grito do meu peito impreco!
Dos brados meus ouvindo apenas o eco,
Eu torço os braços numa angústia douda
E muita vez, à meia-noite, rio
Sinistramente, vendo o verme frio
Que há de comer a minha carne toda!

É a Morte — esta carnívora assanhada —
Serpente má de língua envenenada
Que tudo que acha no caminho, come…
— Faminta e atra mulher que, a 1 de janeiro,
Sai para assassinar o mundo inteiro,
E o mundo inteiro não lhe mata a fome!

Nesta sombria análise das cousas,
Corro. Arranco os cadáveres das lousas
E as suas partes podres examino. . .
Mas de repente, ouvindo um grande estrondo,
Na podridão daquele embrulho hediondo
Reconheço assombrado o meu Destino!

Surpreendo-me, sozinho, numa cova.
Então meu desvario se renova…
Como que, abrindo todos os jazigos,
A Morte, em trajos pretos e amarelos,
Levanta contra mim grandes cutelos
E as baionetas dos dragões antigos!

E quando vi que aquilo vinha vindo
Eu fui caindo como um sol caindo
De declínio em declínio; e de declínio
Em declínio, com a gula de uma fera,
Quis ver o que era, e quando vi o que era,
Vi que era pó, vi que era esterquilínio!

Chegou a tua vez, oh! Natureza!
Eu desafio agora essa grandeza,
Perante a qual meus olhos se extasiam…
Eu desafio, desta cova escura,
No histerismo danado da tortura
Todos os monstros que os teus peitos criam.

Tu não és minha mãe, velha nefasta!
Com o teu chicote frio de madrasta
Tu me açoitaste vinte e duas vezes…
Por tua causa apodreci nas cruzes,
Em que pregas os filhos que produzes
Durante os desgraçados nove meses!

Semeadora terrível de defuntos,
Contra a agressão dos teus contrastes juntos
A besta, que em mim dorme, acorda em berros
Acorda, e após gritar a última injúria,
Chocalha os dentes com medonha fúria
Como se fosse o atrito de dois ferros!

Pois bem! Chegou minha hora de vingança.
Tu mataste o meu tempo de criança
E de segunda-feira até domingo,
Amarrado no horror de tua rede,
Deste-me fogo quando eu tinha sede…
Deixa-te estar, canalha, que eu me vingo!

Súbito outra visão negra me espanta!
Estou em Roma. É Sexta-feira Santa.
A treva invade o obscuro orbe terrestre.
No Vaticano, em grupos prosternados,
Com as longas fardas rubras, os soldados
Guardam o corpo do Divino Mestre.

Como as estalactites da caverna,
Cai no silêncio da Cidade Eterna
A água da chuva em largos fios grossos…
De Jesus Cristo resta unicamente
Um esqueleto; e a gente, vendo-o, a gente
Sente vontade de abraçar-lhe os ossos!

Não há ninguém na estrada da Ripetta.
Dentro da Igreja de São Pedro, quieta,
As luzes funerais arquejam fracas…
O vento entoa cânticos de morte.
Roma estremece! Além, num rumor forte,
Recomeça o barulho das matracas.

A desagregação da minha idéia
Aumenta. Como as chagas da morféa
O medo, o desalento e o desconforto
Paralisam-se os círculos motores.
Na Eternidade, os ventos gemedores
Estão dizendo que Jesus é morto!

Não! Jesus não morreu! Vive na serra
Da Borborema, no ar de minha terra,
Na molécula e no átomo… Resume
A espiritualidade da matéria
E ele é que embala o corpo da miséria
E faz da cloaca uma urna de perfume.

Na agonia de tantos pesadelos
Uma dor bruta puxa-me os cabelos,
Desperto. É tão vazia a minha vida!
No pensamento desconexo e falho
Trago as cartas confusas de um baralho
E um pedaço de cera derretida!

Dorme a casa. O céu dorme. A árvore dorme.
Eu, somente eu, com a minha dor enorme
Os olhos ensangüento na vigília!
E observo, enquanto o horror me corta a fala,
O aspecto sepulcral da austera sala
E a impassibilidade da mobília.

Meu coração, como um cristal, se quebre
O termômetro negue minha febre,
Torne-se gelo o sangue que me abrasa,
E eu me converta na cegonha triste
Que das ruínas duma casa assiste
Ao desmoronamento de outra casa!

Ao terminar este sentido poema
Onde vazei a minha dor suprema
Tenho os olhos em lágrimas imersos…
Rola-me na cabeça o cérebro oco.
Por ventura, meu Deus, estarei louco?!
Daqui por diante não farei mais versos.

– Augusto dos Anjos, em “Toda poesia de Augusto dos Anjos”.

Vem aí um filme sobre ‘Animal Farm’, obra literária de George Orwell

Matt Reeves, o mesmo que realizou e escreveu “War for the Planet of the Apes”, em 2017, e que está a desenvolver o novo filme de Batman, irá produzir este novo filme da Netflix. Reeves e Serkis já trabalharam juntos em “Dawn of the Planet of the Apes”, em 2014, e em “Rise of the Planet of the Apes”, em 2011.

Jonathan Cavendish, que também ajudará Matt Reeves na produção, revelou ao Deadline que: “‘Animal Farm’ será adaptada de uma forma completamente contemporânea e irá destacar a relevância impressionante do poder satírico e dramático do clássico de Orwell.

“Animal Farm”, ou no Brasil “A Revolução dos Bichos”, é um romance satírico do escritor inglês George Orwell, publicado no Reino Unido em 1945. A obra transformou-se numa das mais famosas fábulas políticas deste e do século passado. Acrescentando-lhe a sua marca pessoal de mordacidade e perspicácia, George Orwell relata a história de uma revolução entre os animais de uma quinta e o modo como o idealismo foi traído pelo poder, pela corrupção e pela mentira.

O livro narra assim uma história de corrupção e traição e recorre a figuras de animais para retratar as fraquezas humanas e demolir o “paraíso comunista” proposto pela Rússia na época de Stalin. Orwell era um socialista democrático e foi membro do Partido Trabalhista Independente durante vários anos.

Por fim, ainda não se sabe a data da estreia do filme.

Cinema e Literatura: 10 filmes para ler (ou 10 livros para assistir)

cinema-e-literatura-lista-farofa-filosoficaFilme + Livro | 10 clássicos da literatura: para ler e assistir.
Dostoievski, Clarice Lispector, Kafka, Machado de Assis, George Orwell, Camus e por aí vai…

1 – Crime e castigo | Dostoiévski

crime-e-castigoA produção é dividida em dois episódios e foi considerada pela crítica britânica como a mais fiel adaptação do livro até o momento, a minissérie da BBC foi filmada em São Petersburgo, local onde a história se passa, trazendo um visual cinematográfico marcante e uma boa reconstituição de época, brindada com belas interpretações. Escrito por Fiódor Dostoiévski, o livro “Crime e Castigo” traz uma personagem psicologicamente perturbada, que resolve colocar em prática sua teoria filosófica que, por sua vez, fundamentava-se numa relação um tanto conflituosa entre a razão e a moral humana. Vale a pena assistir!

Para assistir ao filme Crime e castigoCLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro Crime e castigoCLIQUE AQUI!



2 – Morte e vida severina | João Cabral de Melo Neto

morte-e-vida-severina

Morte e Vida severina é um livro de João Cabral de Melo Neto publicado em 1955, trata-se de um relato sobre a dura trajetória do retirante sertanejo em busca de uma vida melhor na capital pernambucana. O título é uma alusão ao sofrimento enfrentado por Severino, personagem principal.

A animação em preto e branco, fiel à aspereza do texto original e aos traços do cartunista Miguel Falcão,  tem 55 minutos de duração e é incrível.

Para assistir à animação Morte e vida SeverinaCLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro Morte e Vida SeverinaCLIQUE AQUI!



3 – Germinal | Émile Zola

germinal-filme-e-livro‘Germinal’ é o nome do primeiro mês da primavera no calendário da Revolução Francesa. Ao usar essa palavra como título de seu livro, Zola associa as sementes das novas plantas à possibilidade de transformação social – por mais que se arranquem os brotos das mudanças, eles sempre voltarão a germinar. Trata-se de um dos grandes romances do século XIX. Para escrevê-lo, Émile Zola trabalhou como mineiro numa mina de carvão, onde ocorreu uma greve sangrenta que durou dois meses. Atuando como repórter, adotando uma linguagem rápida e crua, Zola pintou a vida política e social da época como poucos escritores. O filme é uma ótima adaptação do romance.

Para assistir o filme GerminalCLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro GerminalCLIQUE AQUI!



4 – A revolução dos bichos | George Orwell

a-revolucao-dos-bichos-filme-e-livroEscrita por George Orwell em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.

Contudo, com o acirramento da Guerra Fria,  o livro passa a ser amplamente usado pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell, adepto do socialismo (Orwell se definia como um “socialista democrático”) e inimigo de qualquer forma de manipulação política, sentiu-se incomodado com a utilização de sua fábula como panfleto.

Para assistir ao filme Revolução dos bichosCLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro Revolução dos bichosCLIQUE AQUI!



5 – A hora da estrela | Clarice Lispector

a-hora-da-estrela-filme-e-livroO romance A hora da estrela de Clarice Lispector narra as desventuras de Macabéa, uma moça sonhadora e ingênua, recém-chegada do Nordeste ao Rio de Janeiro, às voltas com os valores de uma cultura diferente. Sentindo dores constantes, Macabéa vai ao médico e descobre que tem tuberculose, mas não conta a ninguém.

Trata-se de uma obra muito sensível e cativante, e muito bem retratada pelo filme de 1985, dirigido por Suzana Amaral, a adaptação, inclusive, entrou em 2015 para a lista da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) como um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.

Para assistir ao filme A hora da estrela  – CLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro A hora da estrela  – CLIQUE AQUI!



6 – Memórias do Cárcere | Graciliano Ramos

memorias-do-carcere-filme-e-livroO filme e o livro relatam as experiências do escritor na cadeia, preso em 1936 por conta de seu envolvimento político, ainda que, a acusação formal nunca tenha sido feita… Neste período Graciliano descreve, entre outros acontecimentos, a entrega de Olga Benário para a Gestapo, além de sua convivência com outros presos políticos… Comenta também o processo de realização e publicação de Angústia, uma de suas melhores obras.

Enfim, trata-se de um filme e um livro que valem a pena não só pelo seu aspecto literário como também pelo relato histórico de um período tão importante da história do Brasil.

Para assistir ao filme Memórias do CárcereCLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro Memórias do CárcereCLIQUE AQUI!



7 – O estrangeiro | Albert Camus

o-estrangeiro-filme-e-livroO livro O estrangeiro(1942) tornou-se uma das obras mais conhecidas de Albert Camus. O romance reflete a tese existencialista de que a vida carece de sentido. Seu impassível protagonista, condenado por um crime absurdo cometido sem nenhuma justificativa, sente-se estranho diante da realidade que o rodeia, a vida vai se desenrolando como se ele fosse um estrangeiro, não em relação a um país, mas em relação à humanidade. O romance começa com a morte de sua mãe em um asilo e o enterro, acontecimentos diante dos quais ele não demonstra nenhuma tristeza. Tudo em sua vida é indiferente.

Para assistir ao filme O estrangeiroCLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro O estrangeiroCLIQUE AQUI!



8 – Memórias Póstumas de Brás Cubas

memorias-postumas-de-bras-cubas-filme-e-livroApós ter morrido, em pleno ano de 1869, Brás Cubas decide por narrar sua história e revisitar os fatos mais importantes de sua vida, a fim de se distrair na eternidade. A partir de então ele relembra de amigos como Quincas Borba, de sua displicente formação acadêmica em Portugal, dos amores de sua vida e ainda do privilégio que teve de nunca ter precisado trabalhar em sua vida.O filme é uma adaptação do livro homônimo, de Machado de Assis.

Para fazer o download do  filme Memórias Póstumas de Brás CubasCLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro Memórias Póstumas de Brás CubasCLIQUE AQUI!



9 – A metamorfose | Franz Kafka

a-metamorfose-kafka-filme-e-livroO livro A metamorfose (Die Verwandlung) foi publicado pela primeira vez em 1915 nele, Kafka, descreve uma caixeiro viajante (Gregor Samsa) que abandona suas vontades e desejos para sustentar a família e pagar a dívida dos pais. Numa manhã, Gregor acorda metamorfoseado em um inseto monstruoso.

O filme é de 2002 e é, também, uma adaptação bastante fiel à obra. Vale destacar que o diretor Valeri Fokin  é um diretor russo de teatro, fato que conferiu ao filme um tom bastante singular, dialogando de forma peculiar com a obra escrita.

Para assistir ao filme A metamorfoseCLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro A metamorfoseCLIQUE AQUI!



10 – 1984 | George Orwell

1984-filme-e-livroQuando foi publicada em 1949, poucos meses antes da morte do autor, essa assustadora distopia datada de forma arbitrária num futuro perigosamente próximo logo experimentaria um imenso sucesso de público. Seus principais ingredientes – um homem sozinho desafiando uma tremenda ditadura; sexo furtivo e libertador; horrores letais – atraíram leitores de todas as idades, à esquerda e à direita do espectro político, com maior ou menor grau de instrução. À parte isso, a escrita translúcida de George Orwell, os personagens fortes, traçados a carvão por um vigoroso desenhista de personalidades, a trama seca e crua e o tom de sátira sombria garantiram a entrada precoce de 1984 no restrito panteão dos grandes clássicos modernos.

Para assistir ao filme 1984CLIQUE AQUI!

Para fazer o download do livro 1984CLIQUE AQUI!

Via: Farofa Filosófica

Franz Kafka – Livros em PDF

franz-kafka-kimdir-hakkinda-ve-yasamiFranz Kafka (1883-1924) escritor tcheco de língua alemã, criou uma das obras mais originais do século XX. As preocupações de sua literatura são ainda plenamente atuais e expressam em conjunto certas inquietudes do homem do século XX. Suas obras, que em grande maioria permaneceram inéditas até a sua morte, descrevem um universo angustiante e opressivo em que o indivíduo está sozinho e impotente diante da burocracia, da justiça, do poder e da sociedade, que aparecem diante dele como algo hostil e incompreensível.

Para aqueles que queiram conhecer melhor a obra do autor, segue abaixo o link para download de 10 de seus livros em PDF:

Essencial – CLIQUE AQUI!

O processo – CLIQUE AQUI!

Carta ao pai – CLIQUE AQUI!

O Castelo – CLIQUE AQUI!

A metamorfose – CLIQUE AQUI!

Desmascaramento de um embusteiro – CLIQUE AQUI!

Um artista da fome e A Construção – CLIQUE AQUI!

Um fratricídio – CLIQUE AQUI!

Um médico de aldeia – CLIQUE AQUI!

Uma velha página – CLIQUE AQUI!

George Orwell – Livros em PDF

maxresdefault (4)George Orwell (1903 – 1950) escreveu obras que refletem as questões políticas e sociais de seu tempo como poucos autores. Sua obra mais conhecida é 1984,terrível visão futurista em que o estado controla o indivíduo de forma absoluta. Outras obras também se destacam como Revolução dos bichos, fábula protagonizada por animais que dialoga com o totalitarismo stalinista e Homenagem a Catalunha, relato autobiográfico sobre a Guerra Civil espanhola.

Para aqueles que queiram conhecer melhor a obra do autor, seguem abaixo 8 de seus livros para download em PDF:

1984 – CLIQUE AQUI!

Revolução dos bichos – CLIQUE AQUI!

A filha do reverendo – CLIQUE AQUI!

O caminho de Wigan Pier – CLIQUE AQUI!

Dias na Birmânia – CLIQUE AQUI!

Lutando na Espanha- CLIQUE AQUI!

Dentro da baleia- CLIQUE AQUI!

Como morrem os pobres e outros contos- CLIQUE AQUI!

Download via LeLivros

Ernest Hemingway (1899-1961)

No contexto das epopeias modernas e contemporâneas, Ernest Hemingway trouxe o heroísmo badalado e ansiado por aqueles que desejavam ver o ser humano valorizado perante a adversidade. As constantes viagens que encetou, para além das experiências na primeira pessoa em conflitos bélicos, levaram-no a reforçar essa necessidade de exultar a força de caráter e de perseverança do homem. Grandes marcos da literatura do século XX derivam deste autor, que muito privou com outros literatos, mas que se firmou na sua experiência singular. Hemingway é, com isto, um dos mais denotados e reforçados vultos da literatura norte-americana, que saltou de um lado do Atlântico para inspirar o outro.

Ernest Miller Hemingway nasceu a 21 de julho de 1899, num subúrbio de Chicago, no estado norte-americano do Illinois. Filho de pais educados e respeitados nessa periferia, em que o pai era físico, e a mãe música, cresceu rodeado de apoio no que toca à sua instrução, embora não gostasse da sua progenitora, muito por esta o impingir a tocar violoncelo. Mesmo assim, as lições de música seriam um tema a escrutinar na sua futura obra “For Whom the Bell Tolls”, de 1940, que descrevia a brutalidade vivida e testemunhada pelo autor na Guerra Civil Espanhola; e que importava o contraponto musical para a forma como estruturou esta narrativa. A história seria protagonizada por um jovem americano das brigadas internacionais e aliado à República espanhola, com a missão de explodir uma ponte na cidade de Segovia; e que, à imagem dos muitos heróis das obras do autor, passaria por uma série de testes aos seus limites individuais e coletivos, emocionais, físicos e mentais.  O título proveio de um poema do lírico John Donne, em que meditou sobre a oração, a dor, a doença, e a saúde.

Durante as férias que passou na sua infância, aprendeu, com o seu progenitor, a caçar, a pescar e a acampar nos bosques e nos lagos do norte do estado do Michigan, experiências e práticas que o levariam a desenvolver um espírito aventureiro e interessado por ilhas isoladas e remotas. Durante os anos em que eclodiu a I Guerra Mundial, o futuro escritor estudou na escola secundária, onde praticou uma série de desportos, e se destacou nas aulas de inglês, para além de ter frequentado a orquestra musical. Ainda sobre orquestras, deu entrada de um artigo jornalístico seu, numa aula de jornalismo, quanto a uma sessão da Chicago Symphony Orchestra, dando o mote para, em conjunto com artigos desportivos, uma carreira jornalística de promessa. Seria o primeiro passo para, a partir de um estilo bastante assertivo e informativo, se afirmar pela escrita e pelas grandes coberturas situacionais e contextuais.

Ainda antes do conflito bélico terminar, em 1918, juntou-se a este ao abrigo da Cruz Vermelha, tornando-se num condutor de ambulâncias em Itália. Pouco tempo depois, juntou-se à frente italiana, onde conheceu o também autor John Dos Passos, descendente de imigrantes portugueses. Algumas das peripécias que visualizou durante a incidência bélica foram retratadas na sua literatura, entre estas uma explosão numa fábrica de munições, onde resgataram o que restava dos seus trabalhadores. Isto foi plasmado em “Death in the Afternoon” (1932), um livro onde Hemingway apontou e louvou a prática tauromáquica, reforçando a coragem e a ousadia dos forcados perante o touro, caraterísticas detidas por aqueles que, perante o receio e o temor, salvavam o que sobrava desse sucedido. Outros incidentes iriam lesar fisicamente o norte-americano, que, apesar do acontecido, iria receber uma medalha de bravura advinda do governo italiano, pelo apoio prestado aos seus soldados. Seria, entretanto, hospitalizado durante seis meses, em Milão, onde foi operado a ambas as pernas, fruto das lesões sofridas durante a Guerra. Neste período, construiria mais amizades, desta feita com o escritor Henry Serrano Villard; e conheceria o amor na forma da enfermeiraAgnes von Kurowsky, nove anos mais velha que Hemingway, mas com quem não formalizaria casamento. Este seria um duro e rude golpe na vida conjugal do autor, que regressaria a casa em 1919.

So far, about morals, I know only that what is moral is what you feel good after and what is immoral is what you feel bad after.”

‘Death in the Afternoon’ (1932)

Mesmo sem ter chegado aos vinte anos de idade, voltou com uma farta experiência de vida, maturidade que lhe levaria a, com os seus amigos do ensino secundário, acampar pela natureza do Michigan, inspirando-o a mais um conto do seu cunho. “Big Two-Hearted River” (1925) é protagonizado pelo semi-autobiográfico Nick Adams, que embarca por um périplo por essa mesma Natureza, e onde coloca em perspetiva o pendor regenerador desta, para além da vertente destrutiva que a guerra despoleta na alma. Muito daquilo que foi a descrição cénica bebeu dos quadros do pintor pós-impressionista Paul Cézanne, que maravilha o autor nesta digressão sem enredo. Agraciado por esta solitude, voltou à colaboração jornalística, desta feita em Toronto, no Canadá, onde aceitou ser correspondente estrangeiro. Pouco depois, passou a viver e a trabalhar em Chicago, onde conheceu o autor Sherwood Anderson, e a sua futura esposa Hadley Richardson, amiga da irmã de Hemingway, oito anos mais velha que este. Mal decidiram casar-se, deliberaram, também, que embarcariam numa viagem pela Europa, ficando a viver em Paris em 1921, dois meses depois de se casarem, precisamente por sugestão de Anderson.

A capital francesa seria um polo de enorme atração e fervor cultural e literário para Hemingway, que privaria com a sua futura amiga e madrinha do seu filho Jack Gertrude Stein, o irlandês, e companheiro de vida boémia James Joyce, e o compatriota, e companheiro de viagens Ezra Pound. O modernismo pulsava na alma destes três e dos demais rostos que os acompanhavam, e, neste núcleo, também conheceu os pintores Pablo Picasso, Juan Gris, eJoan Miró. Uma “Lost Generation” de autores, a quem se associava uma onda de artistas vanguardistas, e autores esses que seriam ressalvados, dessa forma, na obra “The Sun Also Rises” (1926). Este livro levaria expatriados britânicos e americanos da Guerra Mundial – baseados nesses autores que conheceu – ao festival de San Fermín, na região de Pamplona, em Espanha, para ver as corridas de touros, e as touradas, país e eventos sobejamente apreciados pelo autor. Aqui, relatou a vida que se experienciava e se partilhava nos cafés parisienses, para além do entusiasmo que sentia no festival tauromáquico. Esta obra seria determinante naquilo que era a teoria do Icebergue, aplicada à caraterização das personagens, que seriam gradualmente descobertas consoante a narrativa se desenrolasse, e que passariam uma imagem simples e pouco intrigante de início.

Nestes vinte meses por Paris, criou mais de oitenta histórias para o “Toronto Star”, jornal para o qual escrevia, incluindo práticas tradicionais e rústicas pelas nações europeias, e a Guerra Greco-Turca. No entanto, a sua esposa perderia uma série de manuscritos seus, em 1922, que o levaria a necessitar de recuperar algum fôlego, e de regressarem a Toronto, onde o filho John nasceu, em 1923. Neste período, “Three Stories and Ten Poems” daria o pontapé de saída à literatura criada e lançada pelo norte-americano, seguido por um segundo volume – “In Our Time”. A vida de literato interessava-lo de sobremaneira, e fê-lo voltar à Europa, em 1924, com uma história de destaque e de referência, de seu título “Indian Camp”, que estrearia a personagem de Nick Adams, e a dicotomia entre nascimento e morte. Uma lufada de ar fresco seria conferida ao género das pequenas histórias, numa toada declarativa e vivaz pela literatura norte-americana, que seria aprofundada pelo contemporâneo F. Scott Fitzgerald.

Em 1925, após umas férias na Áustria, conheceria Pauline Pfeiffer, que se tornaria na sua segunda esposa, e que o encontrou com o pretexto de assinar contrato com uma editora. Antes de se divorciar, o caso entre ambos seria descoberto, e o desenlace proporcionar-se-ia em 1927, já após dividirem os bens partilhados. Pfeiffer passou, desta forma, a viver em Paris, colaborando na revista Vogue, e ajudou-o a redigir uma nova compilação de contos, agora “Men Without Women” (1927), onde o divórcio, a infidelidade, a luta por recompensas, e o próprio boxe – o célebre “Fifty Grand”, onde a omnisciência do autor marca uma rara aparição, tal como em “A Matter of Colour” – são temáticas aludidas e exploradas. O realismo é uma nota de destaque de todo este repertório, embora salte à vista uma necessidade de glorificar o ser humano. A sua nova esposa, Pauline, ficou grávida de Hemingway, e quis voltar para o seu país, ao lado do futuro pai da sua criança. Dos Passos, amigo pessoal do escritor, recomendou viverem em Key West, na Flórida, e o casal deixou Paris em 1928, sem antes ter um acidente que o deixou com uma cicatriz permanente na testa. Seria a última vez em que viveria numa grande cidade, passando a dar forma ao espírito de perscrutador dos lugares mais recônditos.

Nesta proximidade às Caraíbas, Hemingway levou a esposa e o recém-nascido Patrick, filho de ambos. No entanto, o parto teria algumas conturbações, que seriam retratadas em “A Farewell to Arms”, uma das principais obras da literatura do norte-americano, e cujo título deriva de um poema do autor inglês do século XVI George Peele. Lançado em 1929, o livro devolve o cenário da Primeira Guerra Mundial, em que, na primeira pessoa, um expatriado tenente, e membro do corpo médico do exército italiano se apaixona, e se debate com as iniquidades de caráter que a guerra traz, para além do sofrimento sentido pelas populações. Antes de passarem a fixar-se em Key West, viveram em alguns estados do leste norte-americano, e foi nesta itinerância que tomou conhecimento do suicídio do seu pai. Passando este por dificuldades económicas, tinha recebido uma carta, pouco antes de tomar essa atitude, do seu filho, que aconselhava o progenitor a não se preocupar com as suas dificuldades financeiras.

“If people bring so much courage to this world the world has to kill them to break them, so of course it kills them. The world breaks every one and afterward many are strong at the broken places. But those that will not break it kills. It kills the very good and the very gentle and the very brave impartially. If you are none of these you can be sure it will kill you too but there will be no special hurry.”

‘A Farewell to Arms’ (1929)

Após esta fase de luto e comoção, voltou a França, lançando a obra acima mencionada pouco depois, que o firmou como um dos grandes nomes da literatura moderna. Seguir-se-ia “Death in the Afternoon”, e, para tal, Hemingway viajou por Espanha, fascinando-se pelo interesse trágico e dualista – vida e morte – que as touradas induziam. De volta ao seu país, nos anos 30, dividia o seu tempo entre Key West, e o estado do Wyoming, onde conviveu com John Dos Passos. Entretanto, mais um acidente vitimaria o autor, partindo o braço num acidente de carro. As consequências arrastar-se-iam por um ano, tempo durante o qual escrevia com grande custo. 1931 traria Gregory à vida, o terceiro filho de Hemingway, e uma vida relativamente estabilizada, onde convivia com alguns dos seus amigos em expedições de pesca, incluindo viagens para a Europa e a Cuba.

Resultado de imagem para ernest hemingway paris

Hemingway com a sua segunda esposa, Pauline.

Dois anos depois, com Pauline, fez um safari no leste africano, colhendo algum material para várias histórias – como “The Snows of Kilimanjaro” – e para a célebre obra “Green Hills of Africa”, datado de 1935, onde relata uma série de experiências e de contemplações perto da Tanzânia e do Quénia. A saúde voltou, porém, a ser um empecilho nos intentos do autor, que sofreu de disenteria, e que o levou a retornar mais cedo. Com o lucro que obteve das várias obras lançadas e vendidas, comprou um barco, denominado Pilar, e passou a explorar as Caraíbas, não muito longe de Key West. Antes de se deparar com a necessidade de regressar ao Velho Continente, escreveu “To Have and Have Not”, de 1937, que retrata um capitão de um barco, precisamente de Key West, e que é levado para o meio do perturbado e controvertido mercado negro, encetado na Flórida e em Cuba. Perante a Grande Depressão norte-americana, o protagonista é obrigado a envolver-se nesse transporte de produtos ilícitos e contrabandeados, dando o mote para o escritor fazer uma crítica à sociedade de então, bebendo da ideologia marxista na sua efetivação.

O acontecimento que o levou a regressar à Europa, em 1937, foi o convite, por parte da North American Newspaper Alliance, de cobrir a Guerra Civil Espanhola. Nesta cobertura, esteve com o realizador holandês Joris Ivens, que desejava contar com Hemingway para escrever o guião do seu filme “The Spanish Earth”, após John Dos Passos ter abdicado ao ver um amigo seu ser preso e executado, e mudado a sua opinião quanto aos republicanos de esquerda. Dois anos depois, passou a viver em Havana, na capital de Cuba. Consigo, esteve a jornalista Martha Gellhorn, que conheceu em pleno momento bélico, em solo espanhol. Findavam os anos 30, e arrendou uma grande propriedade – “Finca Vigia” – nessa ilha centro-americana, após a família o deixar no verão de 1939. O casamento com Gellhorn consumar-se-ia em 1940, e, com ela, voltaria a viver nos Estados Unidos, intercalando a sua residência no estado do Idaho com a de Cuba. Aqui, daria o passo para encetar uma das grandes paixões da sua vida, os gatos, acolhendo dezenas no seu terreno na ilha. A sua nova esposa inspirou-o para “From Whom the Bell Tolls”, lançado em outubro de 1940, e nomeado para um Prémio Pulitzer. Entretanto, foi encarregue, ao abrigo da revista Collier, de trabalhar na China, e Hemingway, acompanhando-a, viu rumores, em torno da sua figura, a crescerem quanto à sua associação aos serviços de espionagem soviéticos.

Antes dos Estados Unidos entrarem no grande conflito militar que havia despoletado na Europa, no ano de 1941, o autor, sentindo-se com uma missão a desempenhar neste contexto, pediu ao governo cubano o seu barco, para emboscar alguns dos submarinos alemães que marinavam pela costa do país. Neste período, entre 1942 e 1945, deixou a escrita de lado. Contudo, já na parte final do conflito, Hemingway esteve pela Europa, onde se apaixonou novamente por uma jornalista, desta feita Mary Welsh, da revista Time. Este caso não começou de forma muito favorável, pois o autor recusou-se a prestar-lhe ajuda inicialmente, após ela não conseguir viajar num avião de imprensa. Trocando galhardetes pelo meio, foi logo ao terceiro encontro entre ambos que o escritor, já divorciado, não resistiu em pedir Welsh em casamento. Entretanto, viajou para a Normandia, onde cobriu vários dos conflitos sucedidos naquela zona; e juntando-se ao 22º regimento de infantaria norte-americana, onde chegou a ser líder de uma pequena fação numa vila dos arredores de Paris. Isto traria represálias ao autor, que seria acusado de contravenção às Convenções de Genebra, a lei internacional de tratamento humanitário em tempo de Guerra.

A libertação da cidade de Paris decorreria pouco tempo depois, e Hemingway selaria paz com a cidade, revendo Pablo Picasso, e reconciliando a sua amizade com Gertrude Stein. No entanto, a vontade visceral de permanecer na frente dos fogos-cruzados excedeu-se a ele, que foi para o Luxemburgo assistir a uma das inúmeras batalhas do conflito, mas sendo hospitalizado com uma pneumonia. Pouco tempo depois de a debelar, este tinha terminado, decorria o ano de 1945. Dois anos depois, seria laureado com uma estrela de bronze pela bravura demonstrada durante a guerra, para além da adenda referente ao relato literário das lutas e glórias do exército norte-americano. Antes, já havia casado com Mary, que teve uma gravidez ectópica pouco tempo depois. A densa carga de incidentes que alastrava o norte-americano permaneceu, levando a uma série de acidentes, e conduzindo Hemingway a uma depressão. A isto, juntaram-se as muitas mortes de amigos seus, também autores, tais comoWilliam Butler Yeats (1939), Fitzgerald (1940), Anderson, Joyce (os dois 1941), e Gertrude Stein (1946), para além do seu editor de longa data Max Perkins (1947). Hipertensão, diabetes e problemas de peso também se juntaram a este conturbado rol de vicissitudes, de um período muito funesto da sua vida.

Resultado de imagem para ernest hemingway

Hemingway com o seu terceiro filho, Gregory.

Foi por volta de 1946 que começaria a voltar às suas fartas narrativas, desta feita com “The Garden of Eden” (publicado postumamente em 1986), em que conta cinco meses da vida de um escritor e da sua esposa no sul de França. Mesmo perante uma tendência de Hemingway de valorizar a personalidade masculina, a obra explora as relações entre géneros, incluindo a androginia e o esboroar e desmistificar das diferenças entre estes. 1948 levaria o autor e a sua esposa para o continente onde se conheceram, ficando por Veneza alguns meses. Europa parecia fatal para Hemingway, que se voltou a apaixonar, desta feita por uma jovem de 19 anos, de seu nome Adriana Ivancich. Esta relação muito platónica deu o mote para “Across the River and into the Trees” (1950), muito bafejada com críticas negativas, e onde conta a história de um general na Primeira Guerra Mundial, e da sua paixão por uma jovem veneziana. O papel da morte é muito posto em causa, na forma como ela é encarada, e bebe muito da teoria do icebergue, para além de um simbolismo pouco usual na escrita direita e heroica do autor, e de um ritmo muito crescente em intensidade.

Contudo, o sucesso estava às portas de retornar ao autor, com a escrita, em somente oito semanas, de “The Old Man and the Sea” (1952) que lhe conferiria um Pulitzer, e um estatuto de celebridade mundial. Este traz as vivências de um velho marinheiro, em Cuba, que volta a enfrentar de frente o mar, e travando uma acesa luta com um marlim, designação comum para peixes teleósteos perciformes. Ideais de superação e de transcendência no confronto com obstáculos, para além da inspiração incutida nos mais novos, são traços que esta obra não se coíbe de seguir. 1954 devolveria África à vida do autor, onde enfrentou a morte por duas vezes, ambas em acidentes de avião, no Congo. As lesões que sofreria seriam o princípio de uma degradação física paulatina, mas sentida. Para combater as dores, bebia álcool excessivamente. Porém, foi nesse mesmo ano, no mês de outubro, que seria galardoado com o Prémio Nobel da Literatura, não se deslocando a Estocolmo, na Suécia, porém, para o receber. No discurso que deixou sobre essa atribuição, reforçou a solitude de um autor, mesmo com o crescimento da sua notoriedade.

A saúde permaneceria um enorme problema na sua vida, embora não o impedisse de regressar a Paris, onde havia estado no Ritz Hotel, vinte e oito anos depois de lá ter estado, e onde deixou malas que nunca chegara a recuperar. Naquele ano de 1956, retornaria ao contacto com elas, descobrindo uma série de cadernos escritos daqueles tempos da sua juventude. Quando regressou a Cuba, no ano seguinte, sentiu-se motivado para compilar esses textos, e lançar “A Moveable Feast”, referenciando uma série de caras com quem tinha estado, e de episódios que havia experienciado como jornalista expatriado, para além de nomear a sua primeira esposa. Esta obra só seria lançada em 1964, pela viúva de Hemingway, três anos depois de partir.

When spring came, even the false spring, there were no problems except where to be happiest. The only thing that could spoil a day was people and if you could keep from making engagements, each day had no limits. People were always the limiters of happiness except for the very few that were as good as spring itself.

‘A Moveable Feast’ (1964)

No entanto, a sua propriedade em Cuba tornou-se bastante frequentada por interessados e turistas, pelo que o autor necessitou de recuperar a sua privacidade. Para além disso, viajou para Espanha em 1959, investigando e preparando conteúdo para alguns artigos sobre touradas, para a revista Life, ultrapassando largamente o limite de palavras, e necessitando da assessoria do também escritor A. E. Hotchner., levando à obra “The Dangerous Summer” (póstuma, de 1985). Este, surpreendido com o estado do amigo, descreveu-o como anormalmente desorganizado e confuso, numa altura em que já perdia a sua visão. Tentando recuperar a tal prosperidade, comprou uma outra propriedade no estado do Idaho, nos Estados Unidos, concomitantemente com a chegada de Fidel Castro ao poder, embora não fosse contra este. No entanto, foi mal este anunciou a vontade de nacionalizar todas as propriedades que estrangeiros tinham em solo cubano que se consolidou a mudança permanente para o seu país natal, não deixando de guardar alguns manuscritos num cofre em Havana.

Numa das demais viagens que fez a Espanha, correu o rumor de que estava muito perto de morrer. A sua esposa, Mary, envidou esforços para perceber o que se passava, e, embora o boato fosse desmentido, a verdade é que Hemingway tinha os dias bastante limitados pelo seu estado de saúde. Foi crescente o seu isolamento, sentindo a vontade de sair de casa, e preocupando-se em demasia com a sua segurança, e com todo o dinheiro do qual a família dispunha, para além dos impostos dentro e fora de portas. A paranoia na qual estava absorvido cresceu quando sentia que o FBI vinha observando todos os seus passos, processo que já se vinha arrastando desde que vivia em Cuba, nos anos 50. Internado numa clínica psiquiátrica, recebeu, de forma totalmente secreta, eletrochoques, para além de uma série de medicação que o deixou ainda mais transtornado e alienado.

De regresso a casa, mostrou ter reações que não apontavam para o rumo da melhoria, pelo que regressou ao hospital para mais tratamento de choques. Dois dias depois de um novo retorno a casa, no dia 2 de julho de 1961, e após já ter dado indícios de que o faria, Ernest Hemingway suicidou-se com um tiro de caçadeira. Trancando-se na cave, onde estava o armamento que colecionava, disparou da sua arma favorita, embora as versões oficiais apontem que tenha sido algo acidental. Nos últimos suspiros da sua vida, mostrava um padrão de comportamentos similar ao do pai, antes deste também ter acabado com a sua vida. Registos médicos, trinta anos depois da sua morte, apontaram que Hemingway padecia da mesma doença que a do seu progenitor, de seu nome hemocromatose. A impossibilidade de digerir ferro no organismo levou a um deterioramento crescente, tanto a nível físico como mental, com a bebida a pouco ajudar ao seu controlo.

As várias epopeias redigidas por Ernest Hemingway começaram na sua agitada e viajada vida, que deambulou de realidade em realidade, até a um fim que acusa a questionada eternidade. Por entre casamentos e comprometimentos, tanto com um chamamento de dentro, como pelos amigos de fora, o norte-americano conheceu uma constante superação, por mais condenado que o seu destino estivesse. Nada das circunstâncias relativas ao seu futuro lhe levaram a viver o que não queria, desdobrando-se num corpo que saiu fustigado, mas conhecedor das maiores agruras do mundo. A sua literatura reflete toda uma bagagem que, impossibilitada de ser medida e balançada, nunca se deixou ser prendida, constrangida, arrependida. Dos tantos heroísmos e epopeias do ser humano que criou, Ernest Hemingway é o culminar, em vida e obra, da inspiração em constante superação.

Via: Comunidade Cultura e Arte